Aécio Neves pode mandar fazer o terno de posse

Aécio Neves e Rubão

Por: Walter Brito

Na sexta-feira de carnaval tivemos a oportunidade de entrevistar, o jornalista e advogado Rubens Martins, conhecido no meio político brasiliense, como Rubão. Ele foi o maior amigo do saudoso presidente da Suprema Corte, Maurício Corrêa e, o acompanhou em toda a sua trajetória profissional e pública. Rubão que é gaúcho da fronteira, foi brizolista doente, daqueles que usavam a mesma marca de botas usadas pelo líder trabalhista Leonel Brizola. Conhecedor profundo da política nacional e brasiliense, encontramos Rubão num papo animado com o chefe de gabinete do senador Aécio Neves, o Flávio Alencastro no restaurante Beirute em Brasília. Lá, ele disse com muita convicção para o assessor tucano: “Diga ao Aécio que ele será o próximo presidente da República. Ele pode encomendar o terno ao seu alfaiate, para a posse no Palácio do Planalto”. Rubão falou também sobre a fragilidade do governo Agnelo do DF, e a participação da juventude nas próximas eleições, que não permitirá a continuidade do discurso do PT. Na opinião do advogado, o PT já deu o que tinha que dar. Segundo ele, o projeto de poder do PT será interrompido no dia 5 de outubro. “Na democracia, é fundamental que os governos se revesem. O PT está no poder há quase 12 anos, e o povo exige mudanças por meio das manifestações do mês de junho, e os rolezinhos iniciados em dezembro. Sinto que o ex-governador de Minas, Aécio Neves do PSDB, é a oposição autêntica. O Eduardo Campos e a Marina se desatrelaram do governo do PT o mês passado. Agora eles querem representar o novo. O povo não é bobo, e já sabe o que quer e o que não quer.

Questionado pela reportagem sobre o desgaste dos mensalões: do PT e do PSDB, Rubão disse: “O do PSDB não é mensalão. Trata-se de desvio de dinheiro público. Entendo que o ex-deputado Eduardo Azeredo deve ser punido rigorosamente, pois, ele renunciou e está se confrontando com a justiça tal qual o PT. Sua turma fez manifestações em frente o Supremo Tribunal Federal. Entretanto, lá em Minas não teve mensalão, foi dinheiro ilícito despejado na campanha de Azeredo. No que se refere ao PT, o mensalão protagonizado por José Dirceu e sua turma, está pagando o preço na Papuda. Dilma pagará o preço do desgaste nas urnas”. Afirmou.

Perguntamos para o nosso entrevistado, sobre o que ele acha da pontuação de Dilma Rousseff rumo à reeleição ao Palácio do Planalto. Dilma está disparada em todas as pesquisas, no primeiro lugar. “Dilma Rousseff aparece 24 horas por dia na mídia, o que não acontece com Eduardo Campos e o Aécio Neves. Quando se faz uma pesquisa eleitoral, as pessoas só se lembram dela, e se esquecem dos outros. Contudo, na hora que a campanha eleitoral começar pela televisão, rádio e as redes sociais, tudo muda. Quando forem colocadas as mazelas do governo para fora, eu não tenho dúvidas que o nome da Dilma desaparecerá das pesquisas de forma assustadora”, disse.

Sobre o carro-chefe da campanha do PT, que certamente será o Bolsa Família, Rubão foi taxativo: “Qualquer tipo de inclusão social precisa de ter prazo para acabar. Pois trata-se de uma porta de entrada para o sujeito ir adquirindo seus próprios recursos e aprender a caminhar com suas próprias pernas. Porém, o Bolsa Família é um programa que as pessoas ficam a vida inteira embaixo das asas do governo, e sem o menor interesse de trabalhar pelo sustento de suas famílias. Existe no Brasil, uma taxa de desemprego baixíssima, de modo que o seguro-desemprego está aumentando exageradamente; o que não faz sentido”, arrematou Rubão.

A respeito de uma possível participação do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) como vice de Aécio, com o objetivo de fortalecer a candidatura de Aécio Neves, com o grupo de José Serra, o jornalista questionou de forma veemente: “Eu creio que uma chapa puro-sangue pode atrapalhar e muito, o projeto de Aécio Neves rumo ao Palácio do Planalto. O ideal seria que o vice viesse do Nordeste. São Paulo é um Estado industrializado, onde o PT perderá a eleição de forma vergonhosa. Desta vez, o povo de São Paulo não vai engolir o poste do Lula na figura do ex-ministro da saúde, Alexandre Padilha, candidato ao governo pelo PT. Lá em São Paulo, onde é a locomotiva do País, os fazendeiros, comerciantes, industriais, pessoas do agronegócio e profissionais liberais; principalmente os jovens recém-formados em medicina, engenharia mecatrônica, tecnólogos e analistas em computação, advogados, etc.; querem ganhar dinheiro trabalhando. Por outro lado, o PT não gosta disso, ou seja, que o país gere dinheiro e, não tem como o país crescer sem produzir.

Quando um jovem monta um pequeno negócio, ele começa a ser empreendedor. Nesse caso, ele é visto pelo PT como um inimigo. Portanto, repito: a juventude está nas ruas desde junho do ano passado, mostrando sua insatisfação com a presidenta Dilma Rousseff. Por ocasião dos eventos em todo o país, ela caiu fragorosamente nas pesquisas. Entendo ainda que o ciclo do PT acabou. Lula e sua turma já fizeram o que tinham que fazer, ou seja, protegeram a população por doze anos com o Bolsa Família. Esse ciclo acabou, como acabou a Revolução de 64; a ditadura militar e o Império Romano. A Dilma Rousseff permitiu que o PIB diminuísse flagrantemente, e na mesma medida, ocorreu o avanço do dólar. Significa que, o superavit primário caindo, ocorre a fuga dos investidores, pois, o barco vai afundar como afundou o barco da Argentina, da Venezuela e o barco de Cuba, com quem Dilma e Lula estão agarrados. Será o abraço dos afogados. Entendo que o Brasil para crescer, tem que se juntar agora aos Estados Unidos, ao Canadá, ao México, à China, à Coreia do Sul, e não aos irmãos Castro, ao Maduro, e ainda por cima fazer a defesa do Irã. Entendo ainda, que a regra para o crescimento é universal: se você pretende ganhar dinheiro, tem que se juntar a quem sabe ganhar dinheiro.” Disse.

Referente ao governo Agnelo Queiroz (PT-DF), Rubens Martins não perdoou os erros do governo que prometeu muito, principalmente na área da saúde, educação, transportes e segurança pública. De acordo com a opinião popular, Agnelo nada fez, o que reflete nas pesquisas como o pior governador do Brasil. “O Agnelo não ganha a eleição, pois ele tem a maior rejeição de um governador no Distrito Federal em todos os tempos. A expectativa que ele gerou em sua eleição foi muito grande. Eu mesmo fui um dos que votou no Agnelo e estou decepcionado. Ele fez um governo pífio e corrupto. Um governo que não vai a lugar algum. Ele pode fazer asfalto em todo o Distrito Federal e colocar iluminação pública na última hora, que não ganha a eleição. Qualquer candidato que for lançado pela terceira via, seja Rollemberg ou Reguffe, tira Agnelo do segundo turno. Portanto, na minha modesta opinião, irá para o segundo turno, um candidato do grupo do Roriz, que poderá ser o próprio Roriz ou uma alternativa, como Valmir Campelo, contra um candidato da terceira via, representada por Reguffe e Rodrigo Rollemberg. Acrescento ainda, que o desgaste de Agnelo é tão grande, que até hoje ele não conseguiu responder as denúncias do soldado PM João Dias, que jogou R$ 200 mil reais no gabinete do Paulo Tadeu. Ninguém sabe de onde, o soldado tirou esse dinheiro, e em que situação está o inquérito. Na campanha, Agnelo terá que responder isso.” Concluiu Rubão.