Roriz se prepara para enfrentar o PT e a Geração Brasília

(Roriz, Rollemberg e Agnelo)

Por: Walter Brito

Com 53 anos de existência, Brasília que por muitos anos ficou fora do processo eleitoral e só teve o seu primeiro pleito em 1986. Agora a cidade caminha firme para sua consolidação plena nesse sentido, embalando o sonho de uma juventude, na esperança de eleger já em 2014, representantes da geração política candanga. Trata-se do projeto Geração Brasília, sob o comando do senador Rodrigo Rollemberg, com o objetivo de contrapor o PT e o Rorizismo.

Sem sombra de dúvidas, o representante de maior expressão que se encaixa nesse perfil almejado por diversos segmentos da sociedade da capital brasileira é o do deputado Antônio Reguffe, apesar de Rollemberg ser o maestro do projeto. Vale ressaltar que Reguffe foi o deputado federal mais votado do país e certamente o político de Brasília, que melhor capitalizou os movimentos de rua, deflagrados nos últimos meses contra a corrupção e outros pleitos. De acordo com analistas políticos, as manifestações podem continuar após a decisão da Suprema Corte Brasileira, ao que tudo indica, não levará os mensaleiros para a cadeia, como quer a população.

No caso da eleição em Brasília, o deputado Reguffe, que lidera as pesquisas para o Senado e é o segundo para o GDF, tem o seu jeito próprio de fazer política, não admitindo interferência do partido em questões consideradas básicas, tais como: com quem coligar na majoritária; quais empresários servem ou não para o financiamento de sua campanha e até a escolha pessoal dos integrantes da chapa majoritária e, os principais candidatos proporcionais. Devido a isto, somado ao escândalo de corrupção no Ministério do Trabalho, sob a administração do PDT, o parlamentar disse estar enojado de tais problemas, ocasionando diversos desentendimentos com a direção nacional do partido, apesar da boa relação com o presidente regional Geórgio Michel.

Sabedor das dificuldades enfrentadas por Reguffe para viabilizar sua candidatura ao GDF, o senador Rodrigo Rollemberg sonha em formar a chapa Geração Brasília: “O melhor projeto para contrapor o PT que se mostrou ineficiente no governo de Brasília e o Rorizismo que está ultrapassado, é o nosso. Vamos propor a sociedade uma alternativa de quem tem compromisso de fato com o DF e Entorno”, declarou Rollemberg. De acordo com informações de sua assessoria, Rollemberg (PSB) pretende ser o candidato a governador, tendo Chico Leite como vice, filiado ao REDE da Marina, ou outra legenda de centro-esquerda. Reguffe (PDT) seria o candidato preferido de Rollemberg ao Senado. Rollemberg acredita que a chapa Geração Brasília empolgará todos os setores da sociedade. Outro sonho do grupo Geração Brasília, seria ter como aliado o Toninho do PSOL.

Entrevistado pela reportagem do Cristal Pesquisas, Roriz disse que não teme adversários: “Recebi em minha casa o presidente nacional do PSD, o Gilberto Kassab, que colocou a legenda a minha disposição para disputar mais uma vez o governo do Distrito Federal. Ainda não decidi para qual partido vou, mas certamente saberei hoje dia 25/09/2013, após uma importante reunião. Me filiarei até dia 30 de setembro em um partido, para enfrentar novamente o PT e outros adversários que aparecerem. Se Deus e o povo quiserem, iriei para embate nas urnas novamente, pois não temos adversários", disse.

Comenta nos bastidores da política candanga, que Tadeu Filippelli (PMDB) deverá ser o vice de Roriz, enquanto que Gim Argello (PTB), é o mais cotado para disputar o Senado da República. O projeto propõe unir lideranças como: Paulo Octávio, José Roberto Arruda, Luiz Estevão, Eliana Pedrosa, Luiz Pitiman, Izalci Lucas, Maria Abadia, Jofran Frejat, Valmir Campelo, entre outros.

Quanto ao PT de Agnelo, o mais cotado para substituir Tadeu Filippelli, é o atual secretário de justiça Alírio Neto, presidente regional do PEN. Geraldo Magela é o natural candidato ao Senado, com o desembarque de Chico Leite, que deve se filiar ao REDE ou em outra legenda. Informação da cúpula do Palácio de Buriti, comenta a possível participação de Arlete Sampaio na chapa majoritária, como primeira suplente de Geraldo Magela no Senado. Como se vê, a campanha eleitoral no DF já está na boca do povo e nas ruas.

Clique para ver a pesquisa