Pesquisa mostra Roriz na frente

Por Walter Brito

Questionado pela reportagem sobre a pesquisa eleitoral feita pelo Instituto Parlamento e registrada no TRE-DF no dia 12/09/2013 (publicada abaixo), que mostra de forma clara, o desejo do povo de Brasília, pelo seu retorno ao Palácio de Buriti, ele foi direto: “Sinto-me orgulho e satisfeito com o resultado, o que me emociona muito, principalmente ao saber que O Parlamento, único Instituto de Pesquisas que acertou a eleição passada, afirmando com todas as letras que minha mulher, a Weslian, iria para o segundo turno, oportunidade em que outros grandes Institutos diziam que o PT ganharia no primeiro turno. Tenho a certeza, que O Parlamento é sem duvidas um dos Institutos mais confiáveis do Brasil. Por isso, agradeço ao povo, que de acordo com a pesquisa de O Parlamento e outros institutos, me colocam em primeiro lugar para o GDF. Tenho 77 anos bem vividos, portanto, sou um cidadão idoso. O que certamente vai acontecer com todos os seres humanos que conseguirem chegar aos 77 anos. Afirmo ainda que, quem chega a minha idade, quer viver mais e, se tiver vontade e saúde como eu, quer produzir. Eu quero continuar ajudando os mais necessitados, enquanto Deus me der saúde. Posso ter idade avançada, mas a minha cabeça está jovem, as ideias renovadas e, estou pronto para dirigir mais uma vez o governo do DF e trabalhar pelo povo”, disse.

Homenagem à JK

Perguntado sobre sua possível candidatura ao GDF em 2014 e o partido que se filiará para disputar o Buriti, Roriz comentou: “Eu gosto muito de Brasília, amo essa cidade. Logo me vem a pergunta, “Quem construiu Brasília?” - Foi o grande estadista JK. Por isso, quero homenageá-lo mais uma vez. Devo me filiar nos próximos dias ao PSD, que foi o partido do construtor de Brasília. O PSD continua a seguir os princípios de sua maior referência, o nosso saudoso Juscelino Kubitschek de Oliveira”, falou.

Entorno de Brasília

Nascido em Luziânia, Região Metropolitana de Brasília, o pré-candidato ao GDF, foi questionado por este repórter, sobre as dificuldades enfrentadas pelos dois milhões de habitantes que moram nos 22 municípios do Entorno de Brasília, principalmente as dificuldades enfrentadas nas áreas da saúde, transporte e emprego. De forma categórica ele respondeu: “O Entorno é sequência de Brasília. Se não tivesse Brasília, logicamente não existiria o Entorno. Portanto, se eu voltar a governar o Distrito Federal, tenho a obrigação de entender, que esta Região sofrida, pertence ao DF. As pessoas que vieram do Brasil inteiro para ajudar no desenvolvimento de Brasília e, não encontraram acomodação na cidade, foram para o Entorno. Entendo portanto, que é gente nossa, como também é nossa, a responsabilidade. Se eu for eleito governador novamente, vou cuidar de forma especial desta região, com o mesmo tratamento e carinho que sempre dispensei ao Distrito Federal”, acrescentou.

Aval da família para se candidatar

Quanto a opinião de amigos e familiares, para enfrentar as urnas mais uma vez, Roriz foi enfático: “Reuni toda a minha família e disse sobre o chamamento do povo, que quer a minha volta ao comando do governo de Brasília. A minha mulher Weslian, que é uma grande companheira de todas as horas, a pessoa que amo esou casado há 52 anos; no seu ponto de vista, disse-me que já cumpri a minha missão, pois ajudei milhares de pessoas. Entretanto, eu me sinto saudável e estou convicto de que, enquanto tiver saúde, Deus me der vida e cabeça boa para trabalhar, estarei na luta constante a favor do povo do DF. Minha mulher e meus familiares entenderam, portanto, serei candidato se o povo e Deus quiserem”, disse.

Unidade na diversidade

Quanto às composições políticas para disputar o governo, contra a poderosa máquina petista, comandada no DF pelo governador Agnelo Queiroz, com o apoio da presidenta Dilma e do ex-presidente Lula, Roriz se animou ao responder: “Eu não tenho medo de desafios Walter, principalmente dos grandes adversários, que inclusive respeito muito, mas não temo nenhum deles nas urnas. Por isso, estou chamando para conversar, toda as lideranças que tiveram comigo nos 14 anos que governei Brasília, bem como as novas lideranças que estão surgindo, inclusive na Região do Entorno, onde tenho amigos, como os prefeitos de Luziânia, Formosa, Cristalina, Água Fria e demais municípios da região. Ressalto que todos são meus amigos. Aproveito para fazer uma deferência especial ao meu amigo João de Deus prefeito de Água Fria, que estou tendo o prazer de contar com a sua colaboração nos finais de semana. Afirmo também, que estou convidando um por um dos meus ex-colaboradores, independente de mágoas do passado e divergências, que são muito comuns na política. Vou conversar com todo mundo, mesmo com alguns que tenham pensamentos diversos. Vamos lutar pela unidade na diversidade em prol do DF”, concluiu.

Clique para ver a pesquisa