A incerteza de Reguffe

Reguffe entre as pré-candidatas à Câmara Federal: Jovita Rosa - Ficha Limpa e a deputada distrital Celina Leão

Por: Walter Brito

O deputado federal Antônio Reguffe (PDT-DF), está num beco com muitas saídas, porém muito difícil de saber qual é o rumo certo. Entre as diversas possibilidades de encontrar um caminho seguro pra o seu projeto político na eleição de 2014, o deputado mais votado proporcionalmente do Brasil poderá ser candidato ao governo do DF; vice-governador; senador; deputado federal, ou ainda não disputar nenhum cargo.

Para governador e o Senado da República, o parlamentar que baseia seu projeto político na ética e no combate à corrupção, nesse caso, não conta com a simpatia do poderoso chefão do PDT Carlos Luppi. É sabido que Reguffe almeja migrar para o RIDE de Marina Silva. A oposição de Luppi é menor se Reguffe decidir ser o vice de Rollemberg, ou pleitear a reeleição. Apesar de no primeiro caso, alguns conhecedores da política candanga dizerem que Reguffe está correndo de Rollemberg como o diabo corre da cruz, existe outro argumento, pois com a possível eleição de Rodrigo Rollemberg, Reguffe poderá prolongar sua permanência no PDT, quando terá uma estrutura considerável de poder para quem um dia pretende chegar por meio do voto popular, ao Palácio do Buriti.

Caso resolva disputar à reeleição, será novamente o mais votado em Brasília e, certamente seu destino será o partido de Marina Silva, que já tem número suficiente de assinaturas para ser homologado. Marina aguarda apenas o momento certo para liquidar a fatura.

Em último caso, há ainda a remotíssima possibilidade do parlamentar ficar fora da disputa de 2014. Vale ainda lembrar que, se Reguffe decidir buscar novo mandato na Câmara Federal, tudo indica que o pedetista poderá superar a casa dos 300 mil votos, com a possibilidade de ajudar o segundo colocado do partido a se eleger, conforme indicam as últimas pesquisas de O Parlamento/Cristal Pesquisas, que colocam com maiores possibilidades de voto para a Câmara Federal no PDT: a auditora do Ministério da Saúde, Jovita Rosa (PDT), criadora da Ficha Limpa; e Celina Leão, atual deputada distrital pelo PDT.