A Primavera Brasileira: Plebiscito Já!

 

(Dilma faz pronunciamento à nação)

Por: Walter Brito

Em pleno inverno, os protestos estão a todo vapor no Brasil. No dia 26 de junho as redes sociais anunciam manifestações que poderão superar as dos últimos dias, entre as quais, uma delas colocou nas ruas 1% do eleitorado brasileiro, ou seja 1,4 milhão de pessoas, número também aproximado das assinaturas que criaram a Ficha Limpa. No dia 1º de julho de 2013, anunciam balançar as estacas que sustentam as estruturas da pseudo-democracia brasileira.

As enxurradas que ocorrem no Brasil afora durante o tempo chuvoso, quando os rios transbordam, são o retrato do Brasil hoje, onde tudo se mistura rio abaixo, oportunidade em que os espectadores assistem ao espetáculo, nas suas canoas improvisadas no troncos de bananeiras. Quem mora nas regiões de enchentes conhecem bem esse filme, como os jovens internautas que protestam nas ruas conhecem o filme V de Vingança. Vale ressaltar, que a máscara V esconde mercenários hackiadores, nacionais e internacionais e também jovens bem-intencionados que estão ali sem saber o porquê, como estiveram no Impeachment de Fernando Collor, há 21 anos passados, idade média dos jovens que querem mudar o Brasil hoje. Nas entrelinhas da Máscara V estão anarquistas que usam o famoso filme para propagar a teoria política do anarquismo, o que também confunde os desavisados.

Na enxurrada da primavera brasileira vale tudo: transporte, reforma política, pactos da Dilma, constituinte exclusiva, PEC 37, Impeachment da Dilma e Temer; bem como o afastamento do presidente da Câmara Henrique Alves e do Senado Renan Calheiros. E mais, combate a corrupção, especialmente o possível superfaturamento das obras da Copa; fim do voto secreto no parlamento; educação, saúde e segurança de qualidade; estado laico efetivo; prisão dos mensaleiros; veto ao ato médico; bem como protestos ao pronunciamento da Dilma, que tem como uma das prioridades, a contratação de milhares de médicos estrangeiros, principalmente os profissionais formados em Cuba.

Como se vê, a enxurrada confundiu a todas e a todos: Dilma, Temer, Henrique Alves, Renan Calheiros, o Congresso Nacional, a imprensa, e o povo nas ruas. Ninguém sabe o que de fato vai acontecer e, o que de concreto o povo quer. No desespero na última sexta-feira, Dilma contou com a orientação de João Santana e de Duda Mendonça, quando os dois gênios do marketing ajudaram mais ainda, a empurrar a crise para o buraco. A presidenta ganhou uma classe de peso contra o seu governo, ou seja, médicos subempregados se uniram aos médicos militantes de sindicatos e estarão vestidos de branco nas manifestações de 26 de junho e 1 de julho.

A pesquisa do IBOPE publicada no Fantástico no domingo dia 23/06/2013, confundiu o telespectador. O Instituto do Monte Negro diz que 57% dos entrevistados afirmou que a polícia agiu de forma violenta, enquanto que 24% entende que os policiais agiram sem exagero e 15% acredita que não houve violência. A pesquisa identificou ainda um grande número de razões para o protesto, onde a maioria (90%) já foi elencada e divulgada anteriormente, em todos os canais de comunicação do país. Portanto, não houve novidades interessantes e os números encontrados, não são tão confiáveis, pois, a metodologia usada foi sem critério, ou seja, perguntas na multidão, o que tornou o trabalho tendencioso e ineficaz.

Resta ainda uma esperança: testar o poder do carisma do presidente Lula para minimizar a crise, que certamente continuará firme e forte, até o dia 8 de outubro de 2014. É claro, que Duda Mendonça e João Santana não vão permitir, que Lula vá para a televisão, sem antes fazer uma pesquisa qualitativa, altamente criteriosa em todo o país. A outra alternativa é plebiscito já.