Os velhos tempos da OAB/DF estão de volta

Renata Fan e Galvão

Por Walter Brito

Brasília é sem dúvidas o grande palco da advocacia. É aqui que os tribunais superiores decidem pequenas, médias e as grandes causas da República. Todo advogado importante do país, tem seus representantes na capital brasileira.

No passado, quando Brasília não tinha eleições política partidária, a disputa pela OAB-DF e as eleições do Iate Clube, mexiam com toda população e, a OAB comandava o debate dos grandes temas nacionais, quando Mauricio Corrêa, Sepúlveda Pertence e Reginaldo de Castro fizeram história.

A disputa acirrada, travada pelos atuais candidatos: Francisco Caputo, da chapa - É Questão de Ordem; Ibaneis Rocha, da chapa – Eu quero mais Ordem e Paulo Roque, da chapa – A Ordem é Respeito; relembram o passado glorioso vivido pelos advogados da época e as disputas acirradas, que contribuíram para engrandecer a advocacia brasiliense.

Os três postulantes à presidência da OAB-DF, cuja eleição se dará no próximo dia 26 de novembro, já construíram uma página importante, no mundo do Direito: Francisco Caputo, que pertence a uma tradicional família de advogados, fez mudanças efetivas na instituição, quando levou a OAB para as ruas, interagindo com a sociedade civil de forma muito forte; o que popularizou sua imagem e fortaleceu seu projeto, de luta contra a corrupção. Seus adversários, o criticam pelo seu envolvimento com a política partidária, inclusive, a proximidade do ex-governador Arruda, preso pela Polícia Federal na operação Caixa de Pandora .

Ibaneis Rocha se destaca como defensor das prerrogativas dos advogados. Ele já foi presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB/DF, onde teve um bom desempenho e elogios da classe. Ibaneis promete fazer história na OAB/DF, tornando-se o primeiro presidente da instituição, a comandar pessoalmente um projeto profissionalizado, na defesa inconteste das prerrogativas dos advogados.

Já o professor Paulo Roque, é um intelectual do Direito e professor dos bons. Ele é também jornalista por formação, bem como autor de vários livros e artigos, sempre valorizando a advocacia e mostrando de forma didática, os caminhos do bom Direito. Paulo Roque se notabiliza, por fazer uma campanha franciscana, com poucos recursos financeiros, onde o seu carro-chefe da campanha, são as redes sociais na internet.

As pesquisas indicam disputa acirrada entre Caputo e Ibaneis. Este cresceu muito na reta final. Severino Cajazeiras, seu vice e um dos advogados mais populares de Brasília, comanda a militância nos fóruns, tribunais e delegacias, na busca do voto. “A nossa luta é unir todos os segmentos da advocacia, em torno de um projeto comum, que é a defesa e o avanço do advogado, representado pelo novo e moderno projeto: Eu quero mais Ordem”, declarou.