Enfim, Laíla tira o chapéu para Joãosinho Trinta

  • Neguinho e Pinah, se despedem do amigo Joãosinho

  • Por WB

    Apesar das adversidades o diretor da escola de samba Beija-Flor, Luiz Fernando do Carmo, o Laíla, finalmente se rendeu a genialidade do maior carnavalesco do mundo, Joãosinho Trinta.

    O diretor da escola que Joãosinho levou ao pódio, tirando-a do ostracismo e transformando-a num dos maiores fenômenos do carnaval; disse à imprensa que a escola de Samba do Grupo Especial - Beija-flor de Nilópolis, vai homenagear o eterno rei do carnaval no desfile de 2012, quando apresentará o enredo: São Luís o poema encantado do Maranhão. “Fui diretor do Salgueiro quando Joãosinho comandava e venceu o carnaval de 1974, com o enredo O Rei de França na Ilha da Assombração. Estive quatro vezes em São Luís nos últimos meses e não esperava vê-lo morto antes de nossa homenagem. Ele era genial e nós erámos amigos”, arrematou.

    Quem acompanhou o imbróglio do carnaval de 2010 que homenageou Brasília, sabe que a ideia toda foi de Joãosinho que à época residia no Distrito Federal. Entretanto, ele ficou fora do projeto, o que o deixou triste e apaixonado. As más línguas são categóricas em afirmar que o único culpado do corte do carnavalesco foi o próprio Laíla, que o maltratou muito. Este, não admitia colocar tapete vermelho par o Rei se despedir majestosamente da Sapucaí, em sua cadeira de rodas.

    Joãosinho sofreu dois AVCs, lutando pela beleza do carnaval carioca. Rei morto, rei posto. Agora tudo são flores.

    Página Inicial