Líder estudantil fala da nova era juvenil em Cristalina

  • Matheus Vasconcelos

  • Da Redação

    Matheus Vasconcelos, de 16 anos, estudante em Cristalina na Escola Estadual Olga Mohn é presidente da entidade representativa do movimento estudantil da cidade. Participando do programa Comunidade em Foco, apresentado pelo jornalista Walter Brito, o jovem fala das ações em prol do munícipio e como é representar essa classe.

    Ele começa falando sobre sua trajetória. Matheus disse que começou no movimento estudantil há dois anos. O estudante continua: “No ano passado, em congresso realizado em Goiânia fui indicado diretor Regional da União Nacional dos Estudantes, da Região Metropolitana de Brasília. Em Cristalina, fui eleito por mais de 400 alunos para dirigir a União dos Estudantes de Cristalina. A entidade foi criada em 15 de novembro de 1963, liderada à época pelo Dr. Rui Cortez, portanto, já começamos com meio século de história”.

    O líder se entusiasma ao relatar a forma que foi reconstruída a duras penas, a União dos Estudantes de Cristalina. “Num momento histórico como aquele, a expectativa era muito grande. Eram mais de 400 estudantes, das principais escolas do município. Conseguimos reconstruir a entidade, reformular de acordo com a legislação vigente. Tive ainda a felicidade de liderar esse movimento e ser aclamado presidente dessa importante instituição, que a partir de agora passa a ser referência de lutas, conquistas e vitórias da juventude cristalinense”.

    Enquanto Matheus dava entrevista na rádio Líder para o jornalista Walter Brito, aumentava rapidamente a audiência da emissora. Diversos estudantes ligados ao oponente de Matheus, o também líder Heitor, questionavam a desnecessidade da existência de duas entidades estudantis na cidade de apenas 50 mil habitantes.

    Espertamente, o jovem paracatuense de nascimento e cristalinense de coração, citava exemplos de diversas instituições que fortaleceram o movimento estudantil em nosso país, desde os seus primórdios. “Quanto mais instituições que representam bem os estudantes tiver, melhor será. Principalmente se a entidade for legitimada pelo voto da maioria dos estudantes, como foi o meu caso”, afirma.

    Apesar de ser um democrata, quando admite a convivência pacífica de duas entidades estudantis em Cristalina, o jovem tem em suas veias o sangue político e jogo de cintura de lideres brasileiros que militam à décadas no cenário político nacional e até internacional.

    “Eu gostaria de estar junto com todos os estudantes de Cristalina. Entretanto, nem Cristo agradou a todo mundo. Os estudantes cristalinenses, porém vivem um movimento partido, pois duas entidades estudantis hoje lutam por espaço no município. Infelizmente o movimento partiu para dois lados. Temos a intenção de unificar e criar uma entidade forte. Sou adepto do ditado popular que diz: o tempo será o senhor da razão. Vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos e ver o que a sociedade e os estudantes acham do trabalho de cada instituição. Ao final decidiremos qual o caminho tomar”, finalizou.

    Matheus afirmou ainda que tem o respaldo da UNE e de diversas outras instituições que acompanham a sua luta juntamente com o seu grupo. Durante entrevista na rádio, Matheus disse também o seguinte: “Fico honrado em saber que diversas lideranças da UNE em todo o país, inclusive no Rio de Janeiro estão nos ouvindo neste momento, por meio da internet - www.lidercristalina.com.br; aproveito a oportunidade para agradecer a todos em nome dos estudantes da terra que eu amo, a nossa Cristalina, que se destaca como segundo PIB agrícola do Brasil e ainda hoje detém o primeiro lugar na reserva de cristal de rocha do país, o precioso metal, que deu nome ao nosso município”.

    Um outro assunto abordado durante entrevista com Matheus foi refrente aos projetos da UNE. De acordo com ele, uma das principais vitórias do movimento estudantil foi os 10% do PIB para Educação.

    “Uma das principais lutas da UNE é essa bandeira dos 10% para a educação. É uma das vitórias do movimento que já foi aprovada na Comissão de Educação do Senado Federal. Outra luta é a dos 50% do fundo social do pré-sal para a educação”, enfatiza.

    Finalizando, o estudante como figura política juvenil e de vanguarda na Região, respondeu sobre ações do turismo local.

    “Eu acho que o turismo de Cristalina ficou emperrado por diversas décadas agora o turismo tende a crescer. A cidade tem suas belas cachoeiras e paisagem inigualável. A nossa vizinha Paracatú recebe diariamente centenas de pessoas, vindas de diversos pontos do país. Cristalina tem história e pode fazer o mesmo. Aplaudo o governo do povo pela construção do CAT – Centro de Atendimento ao Turista. Certamente será o ponto de encontro dos turistas de nossa Região”, pontua.

    Matheus Vasconcelos acrescentou ainda que a partir de agora vai discutir com a diretoria de sua instituição e os estudantes de Cristalina, pertencentes aos seus seguimentos, ações efetivas para reescrever a história que começou há 50 anos. “Será um grande desafio reconstruir essa história. Entretanto, faremos por meio de congressos, passeatas e ações efetivas que objetivem realizar os anseios dos jovens que clamam diuturnamente por mudanças. Foram os caras pintadas que tiraram Collor do poder. Juntos baniremos do cenário nacional os corruptos que prejudicam o desenvolvimento do povo brasileiro. Quero aproveitar a oportunidade para aplaudir o juiz competente que me parabenizou nessa entrevista, o Dr. Márlon Reis, criador da Ficha Limpa, juntamente com a guerreira Jovita Rosa. A pesar de estar nos acompanhando pela internet, lá em São Luís no Maranhão, Dr. Márlon está atento com o movimento estudantil. Aproveito para desejar-lhe uma boa viagem ao México, quando proferirá palestra sobre a limpeza que está sendo feita na vida pública brasileira, por meio do funcionamento quase efetivo da Lei da Ficha Limpa. Aproveito esta entrevista, para dizer ao Dr. Málon que está nos ouvindo, para reafirmar a minha presença na OAB Nacional, no dia 25 de abril, quando será lançado o livro de sua autoria. Eu e minha diretoria, diremos presente”, concluiu.