Juliano Costa Couto luta pela vitória de Ibaneis na OAB-DF

p> Por Walter Brito

Juliano Costa Couto (foto acima) candidato a Secretário-Geral Adjunto da OAB-DF, recebeu nossa reportagem na residência do advogado e professor Airton Nóbrega, no Park Way, quando mais de 200 advogados (foto de alguns dos presentes, abaixo)disseram sim ao projeto comandado por Ibaneis Rocha e Severino Cajazeiras. Filho de mineiro e desconfiado, o advogado entende que a política de Ordem, também é como nuvem. Quando olhamos para cima está de um jeito, ao voltar às vistas para baixo e olhamos novamente, está completamente diferente. Segundo Juliano, a chapa Eu quero mais Ordem começou de forma menos entusiasmada, mas firme em suas convicções. Na reta final, segundo Juliano, a disputa ficou acirrada entre o projeto Eu quero mais Ordem e a Situação, sob o comando de Francisco Caputo.

O filho do ex-ministro Costa Couto, que também governou Brasília, disse o seguinte: “Estamos muito motivados nesta campanha e acreditamos nos ideais que defendemos. Percebemos que a maioria dos advogados de Brasília entendeu a nossa mensagem e está com o coração aberto para respaldar Ibaneis Rocha para presidência da OAB-DF. Um dos motivos que nos leva a acreditar nisso é que sentimos uma vontade de mudança do advogado, inclusive no que tange a independência em relação aos poderes constituídos, o que fará a nossa OAB-DF atender de fato o clamor dos advogados, especialmente no que se refere à valorização do advogado iniciante”, disse.

  • Questionado sobre o poder que Francisco Caputo detém sobre o jovem advogado, especialmente as nove turmas que ele entregou nos últimos três anos, a carteirinha da OAB, Juliano respondeu de pronto: “Não acredito nisso. O jovem advogado pensa de forma diferenciada hoje. Ele quer mudança efetiva na Ordem, tem massa crítica e capacidade de formar o seu próprio juízo, de forma independente. A nossa chapa tem como o primeiro item, no sentido de apoiar o jovem advogado: “A Criação do Conselho jovem da OAB-DF, com o mesmo número de Conselheiros, para discutir, propor e deliberar sobre as políticas voltadas para os jovens advogados”, entendo que isso é um avanço e, vamos cumprir. Acredito firmemente, que a juventude da advocacia não se vinculará a Situação, somente pelo fato de ter recebido das mãos do senhor Caputo a carteirinha da honrada profissão de advogado”, alfinetou.

    Referente às prerrogativas dos advogados, Costa Couto argumentou que existe uma renovação no projeto da chapa Eu quero mais Ordem: “Uma das nossas propostas, que inova a defesa de nossas prerrogativas, trata-se do desagravo feito no próprio local que ocorreu a violação das prerrogativas, ou seja, se o fato ocorreu no fórum, iremos lá para o fórum desagravar esse advogado. Se na delegacia, faremos da mesma forma. Isso trará para a autoridade, uma cautela maior no trato com os advogados. Aí sim! certamente evitaremos uma violação futura, dessa mesma autoridade”, arrematou.

    Referente à campanha e a possibilidade de vitória no dia 26 de novembro, Juliano foi enfático: “O desejo de mudança está presente de forma muito forte na alma do advogado brasiliense. É isso que tenho notado em nossas andanças pelos escritórios; no TJDF; na vara trabalhista; no clube dos advogados; em nossos eventos, inclusive, quando nos encontramos com os advogados das Subseções, que agora terão tratamento especial pela nossa gestão, caso sejamos eleitos, como acreditamos. Aprendi com os mineiros, que em uma eleição, temos que confiar desconfiando. Por isso, vamos ficar de prontidão até o último momento do dia 26 de novembro, pedindo voto aos nossos colegas. Conclamo aos advogados indecisos votarem em nosso projeto, pois, a reeleição é um instrumento antidemocrático e sou a favor da alternância do poder, o que é essencial para o exercício pleno da democracia. O doutor Ibaneis, nosso candidato a presidente, tem compromisso firmado em cartório caso se eleja, não buscar um novo mandato para a presidente da OAB-DF. Estamos com Ibaneis e vamos vencer pelo progresso e a renovação de nossa honrada instituição”, concluiu.