(Joãosinho Trinta se despede da Marquez de Sapucaí, ao lado do Amigo Ricardo Marques)

 

Por: José Ricardo Marques- Presidente do Instituto Joãosinho Tinta


Prezados amigos,
Poucos homens tem o privilegio de serem retratados em um documentário, com biografia, estudo e análise sobre sua obra e sua vida.
Raros são os que, pela singularidade de sua trajetória, são imortalizados em obra cinematográfica de longa-metragem.

Este é o caso de Joãosinho Trinta.

Tenho a honra de participar de um projeto cinematográfico sobre a vida de um dos homens mais interessantes produzidos na cultura do mundo.

Durante cinco anos, Joãosinho Trinta viveu em minha casa. Ficou abrigado, como hóspede especial, desde 2006, quando fui Secretário de Cultura do DF. À época, me entusiasmei ao conviver com personalidade tão marcante, então em tratamento no Sarah, em Brasília.

Participei dos últimos anos de sua existência.

Acompanhei momentos inesquecíveis, trabalhando com um gênio, um malabarista que viveu de forma única. Em todo o seu tempo, Joãosinho demonstrou a simplicidade de um menino, de um homem simples da comunidade, do morro, da lama, dos palácios, do Nordeste e do Rio.
Em todos os carnavais, sempre será lembrado, porque o maior espetáculo da Terra, em sua cronologia, tem o antes e o depois do eterno Joãosinho Trinta.
Trinta, O Filme, retrata a história de um homem que tem um pouco de cada um de nós: sonhos, desejos, amores, fugas, desespero, luta, fome, riquezas. E glória, vitória, sucesso, fracasso, velhice, doença e fé.

Como presidente do Instituto Joãosinho Trinta, que está sediado em Brasília, espero que o longa-metragem sobre a vida do grande carnavalesco emocione o povo brasileiro. O filme homenageará o seu estado de origem, o Maranhão, que assistiu ao seu último suspiro, mas também enaltecerá o Rio de Janeiro, que acompanhou seus momentos de maior criação, sem esquecer Brasília, que durante cinco anos o fez pensar sobre o povo brasileiro, suas angústias e seus luxos.

Participo de mais este momento, único, lúdico, fático e histórico. Joãosinho será sempre um heroi, como relatou Matheus Nachtergaele (o Joãosinho do filme) na entrevista ao Fantástico.
Pena que Trinta já não esteja vivo para acompanhar a produção do filme! Mas acompanhará de alguma outra forma que não conseguimos materializar.
Espero que, no final deste ano de 2013, possamos entrar na avenida da vida com uma ópera inspirada no conjunto dos carnavais de Trinta. Uma escola-de-samba inesquecível entrará nos cinemas, nos lares e na lembrança de todos os brasileiros.

 

Abaixo o link com a matéria do Fantástico:
http://globotv.globo.com/rede-globo/fantastico/v/matheus-nachtergaele-interpreta-o-carnavalesco-joaozinho-30/2398415/