Ernesto Roller vem aí!

  • Ernesto Roller

  • Por Walter Brito

    O modelo da Política Nacional mostra ainda hoje laços profundos com as capitanias hereditárias, quando enormes faixas de terras, o equivalente hoje ao tamanho de alguns Estados, eram distribuídas para famílias nobres escolhidas pelo Rei de Portugal D. João III. Consequentemente as terras e o poder de mando de um Estado eram transmitidos de pai para filho.

    A pesar de todos os dias anunciarem aos quatro ventos a derrocada do último coronel da política brasileira, o Congresso Nacional; as Assembleias Legislativas; Câmara de Vereadores, Brasil a fora e o Poder Executivo em todas as suas instâncias, estão cheios de herdeiros do coronelismo, marcado pela perseguição e pela política miúda, com o firme propósito de manter o poder na mão de seus herdeiros hereditários, tal qual ocorreu entre os anos de 1534 e 1536 em nosso país.

    O mundo evoluiu, mas o poder político não acompanha a dinâmica do desenvolvimento. Às vezes muda alguma coisa, mas muito devagar e lentamente. É esta a estratégia que é mantida firme e forte à corrupção e o desmando em nosso país.

    Política em Goiás

    Na política goiana, tudo ficou mais claro depois do caso Carlinhos Cachoeira e o naufrágio em águas profundas do senador da República Demóstenes Torres. Este, apesar de conservador e muitas vezes controvertido, como foi no caso em que cortou percentual significativo de pontos importantes do Estatuto da Igualdade Racial feito de forma equivocada, Demóstenes era de alguma forma, admirado como cidadão supostamente honesto. Contudo, deu no que deu.

    Na Região do Entorno de Brasília, Ernesto Roller, ex-deputado estadual; ex-secretário de segurança pública e, até poucos dias Procurador Geral de Goiânia, apresenta perfil diferenciado da maioria dos políticos goianos. Ele surge como uma grande esperança do povo de Formosa, cidade localizada a 70 km do Distrito Federal. Ernesto é pré - candidato a prefeito daquela cidade goiana e recebeu nossa reportagem em sua residência em Formosa, ao lado de seu assessor de imprensa Fábio Águia, que conferiu atentamente, cada pergunta de nossos repórteres.

    O ex-deputado disse que passou pela Assembleia Legislativa por dois períodos, na primeira vez que se elegeu deputado foi o nono mais votado no Estado, e no mandato seguinte foi o segundo, o que o incentivou muito em sua trajetória política. Lá na Assembleia Goiana, o ex-parlamentar buscou recursos para saneamento básico; pavimentação asfáltica; restauração das unidades escolares, beneficiando efetivamente municípios que ele representava especialmente Formosa, onde nasceu e é a sua principal base política. O pemdbista falou também de forma enfática sobre a sua passagem pela secretaria de segurança pública do Estado de Goiás: “Tenho um sentimento de decepção do atual governo, porque todo trabalho que fiz com muito empenho foi destruído. Nunca se investiu tanto em segurança pública no Estado de Goiás, como no governo Alcides Rodrigues. Nesse governo que ai está, a violência aumenta diuturnamente. Os crimes cometidos assustam e inibem o nosso povo. Hoje existe um verdadeiro desmonte nas polícias civil, militar e científica. E mais, o governador tem estreitas ligações com um caso muito mal explicado, nomeando pessoas no governo. Isto mostra que muito mais do que combater o crime, o governador Marconi se alinha a ele”, arrematou.

    Revolução dos Bichos

    Ernesto que desde infante foi acostumado aos livros, principalmente de pensadores políticos tais como; Montesquieu, Aristóteles e Rousseau, demonstrou durante entrevista que continua afinado com a leitura dos principais pensadores do planeta. Para responder, por exemplo, o nosso questionamento, para comparar o primeiro governo Marconi, do qual ele participou e o atual governo, dirigido pelo mesmo Marconi, ele não pensou duas vezes e emendou citando o escritor e jornalista inglês George Orwell, que escreveu ‘A Revolução dos Bichos’: “Quem leu a Revolução dos Bichos, sabe muito bem o que vou dizer. O Marconi é para todos nós o Porco Napoleão, este ajudou a fazer uma revolução e depois que tomou o poder se mostrou tão nefasto para aquilo que combateu, quanto aqueles que um dia foram combatidos. Quero dizer com isso que em 1998 todos nós goianos vivíamos na expectativa de dias melhores. Vivenciávamos uma perspectiva de governo humilde e humano, realizador e empreendedor, com foco na construção de um mundo melhor”, disse.

    O ex-parlamentar goiano deu uma boa tragada no seu cigarro, tomou um gole de café e continuou – “Aquele primeiro governo realizou tudo isso, o governo que ai está pratica exatamente o que combatemos no primeiro governo. Estamos assistindo o desmonte da saúde pública. Está tudo terceirizado. O atual governo Marconi protege amigos e persegue adversários”, atacou.

    Candidatura a Prefeito

    Referente à sua pré-candidatura à prefeitura de Formosa – GO, Ernesto olhou para o Fábio Águia deu outras tragadas no cigarro e se animou : “ Estou pronto. Sou um homem que sempre soube esperar. Nunca deixei um mandato de deputado para disputar o executivo municipal. Entretanto, a vida e o tempo me prepararam para esta disputa que se aproxima, na terra em que nasci. Trarei às experiências que vivi na política e na administração pública para a nossa cidade. Formosa está jogada e maltratada. Sua administração é feita de forma improvisada. Lamentavelmente não estão sendo cumpridas as promessas e compromissos assumidos com o povo formosense. Após a convenção de meu partido e o início dos comícios, nos palanques , eu e meus companheiros como o Junior do FriBoi, Pedro Chaves e outros, iremos cobrar em alto e bom som”, arrematou.

    Continua Ernesto – “Uma cidade importante como a nossa, não pode continuar nas mãos do improviso e amadorismo. É preciso, por exemplo, estabelecer um plano estratégico feito de forma profissional para resolver o problema do Salto do Itiquira. Faz-se necessário a elaboração de um edital extenso e responsável para a sua exploração, pois está vencendo uma concessão de 30 anos e nada significativo foi feito por lá. Temos nesse momento de privilegiar a população formosense. É de fundamental importância atrair investimentos, inclusive construindo unidades hoteleiras. Entendo ainda que é preciso construir urgentemente um polo comercial naquela localidade, para garantir renda e emprego para o nosso povo”, arrematou.

    Coligação Forte

    O pré-candidato do PMDB disse também que formará uma coligação forte e coesa, para enfrentar a máquina administrativa e o dinheiro farto que certamente será gasto por seus adversários. Para isto, trabalha diuturnamente na sua pré-campanha, buscando alianças. “Eu e meus companheiros do PMDB já temos ao nosso lado o PSC, o PSB, o PTN e o PRB. É possível que traremos para o nosso lado o Partido dos Trabalhadores, coligado nacionalmente com o meu partido, o PMDB velho de guerra. Este trabalho ainda está incipiente, mas certamente vamos avançar muito mais” disse.

    Sobre a pré-candidatura de Junior do FriBoi pelo PSB, ao governo do Estado em 2014, Ernesto respondeu o seguinte: “Tenho a convicção de que Junior é um nome que se insere fortemente na política do Estado e ele vem para trazer qualidade. É um homem bem sucedido e de bom caráter, o que é um orgulho tê-lo ao nosso lado. Todos vamos trabalhar em prol de uma gestão eficiente”, mencionou.

    Questionado sobre o troca-troca de ministros no governo da Presidenta Dilma, ele respondeu: “A presidenta Dilma faz um governo que enche os olhos dos brasileiros. Se há este troca-troca é porque o governo da presidenta, não tem compromisso com a bandidagem, com o desvio do dinheiro público e nem com a corrupção. Em governos passados houve grandes escândalos e todos foram abafados. Dilma Rousseff tem compromisso com a ética pública e a realização. Conclamo o apoio da população, que é fundamental para ela desenvolver medidas positivas que quebrarão os paradigmas viciados da política brasileira”, finalizou o pré-candidato.

    Página Inicial