Vitória de Arthur em Manaus consolida projeto de Aécio rumo ao Planalto

Renata Fan e Galvão

Por Walter Brito

A sabedoria mineira falará mais alto nas eleições de 2014, por meio dos ensinamentos deixados por Tancredo Neves e Itamar Franco, ao neto e conterrâneo Aécio Neves.

A essência do discurso do senador tucano ontem no bairro Alvorada, na periferia de Manaus, dirigido aos 40 mil manauaras, certamente ecoou Brasil afora e de forma muito forte, talvez perene. Ao iniciar suas palavras, Aécio disse que foi enganado, quanto ao seu deslocamento para a capital amazonense, pois ele tinha sido convidado para o último comício de um candidato de seu partido, que disputaria o segundo turno, com o poderoso PT de Lula e Dilma Rousseff. Entretanto, ao chegar à cidade, ele percebeu que na verdade, participaria da festa da vitória.

O tucano ressaltou a sua passagem por 22 estados nestas eleições e a boa performance do PSDB, inclusive no nordeste e norte do país, o que culminou com a maior de todas as vitórias, que segundo ele, ocorrerá em Manaus, com o amigo e irmão Arthur Neto.

“Deus muitas vezes escreve certo por linhas tortas. Quando cheguei ao Senado, há dois anos, o que eu ouvia mais nos cantos do plenário era: Que falta faz Artur Virgílio na tribuna do Senado. Hoje, diante de 40 mil pessoas, percebo que talvez Deus esteja permitindo, que Artur escreva uma nova página da história de Manaus. Você liderou no Senado Artur, a grande construção de um novo e moderno projeto para o país. Junto com isto, você conquistou a admiração, não apenas de seus correligionários, mas até mesmo de seus adversários mais ferrenhos, por meio de suas atitudes e o seu amor pelo povo manauara, amazonense e brasileiro”, disse.

  • Nas entrelinhas e de forma subliminar e inspirado nas sabedorias de Tancredo e Itamar, Aécio mandou um recado para a nação. Segundo ele, o discurso do PT envelheceu e cansou o povo brasileiro, que urge por mudanças e um projeto novo e arrojado, do ponto de vista das reformas. "Trata-se de ações mais corajosas na administração das desigualdades. Não concordo em surfar apenas na onda da economia internacional”, arrematou.

  • O neto de Tancredo Neves estava acompanhado do deputado federal mineiro e secretário geral do PSDB, Rodrigo de Castro (foto, a direita); do Governador de Roraima, José de Anchieta Júnior (foto, esquerda) e do senador catarinense, Paulo Bauer (foto, a direita abaixo), o que parecia simbolizar a união do PSDB, de norte a sul e leste a oeste, em torno do verdadeiro projeto, que enfrentará Dilma ou Lula, sob a batuta do neto de Tancredo Neves, muito reverenciado no palanque de Artur Neto.

  • Referente a presença de Dilma Rousseff, no palanque da senadora Vanessa, quando a presidenta afirmou que dará tratamento republicano aos adversários, Aécio disse o seguinte a este repórter: "A presidenta Dilma tentou enganar o povo, com a história de oferecer tratamento republicano aos adversários, enquanto que os aliados serão tratados melhor, com verbas mais generosas. Trata-se de atitude atrasada, que comparo com o que ocorreu na ditadura militar. Os recursos públicos pertencem ao país e aos brasileiros e a oposição não pode ser discriminada, por não pensar de formar retrógada como pensa o PT de dona Dilma", concluiu.

    Jornalista Walter Brito e Arthur Neto, durante debate na TV Acritica em Manaus.

    Renata Fan e Galvão