Entorno de Brasília vai mudar da água para o vinho

  • Prefeito de Formosa-GO Pedro Ivo

  • Por Walter Brito

    O prefeito de Formosa – GO, Pedro Ivo, cuja cidade fica localizada a 70 km de Brasília, também é presidente da Associação de Municípios Adjacentes à Brasília. Ele é um homem de sorte e preside a AMAB na hora certa, oportunidade em que descobriu um colaborador ideal. Podemos dizer até, que ele descobriu a ponta da meada, ao escolher o executivo carioca e residente em Brasília há duas décadas, José Ricardo Marques, como secretário executivo da instituição que preside.

    A AMAB congrega 22 municípios da Região Metropolitana de Brasília e tem 30 anos de existência. Entretanto, a entidade que representa os prefeitos da Região na capital brasileira ficou acéfala por décadas e, foi ressuscitada em 2009, pelo prefeito de Cristalina Luiz Attié, que foi seu presidente por dois anos. Este regularizou toda sua documentação e por diversas vezes reuniu-se com seus pares no Palácio do Planalto e outros órgãos do governo federal, chamando à atenção das autoridades constituídas para a problemática da Região esquecida por muitos anos, pelos governos de Goiás, Distrito Federal e Governo Federal.

    Foi por meio destas gestões, que a discussão sobre a Região tomou corpo e culminou com a criação da SUDECO / Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste. E mais, Dilma Rousseff se sensibilizou com as dificuldades dos munícipes que sobrevivem à duras penas, há 40 km de sua residência, o Palácio da Alvorada. Dai a criação do PAC do Entorno, com robusto saldo de R$ 6 bilhões para dar uma sacudida na Região que já tem 1,3 milhões pessoas. Estas serão brevemente, segundo previsão estatística, 3 milhões que somados a população de Brasília daqui há 10 anos, cuja projeção é de 5 milhões, teremos um total de 8 milhões de habitantes em Brasília e sua Região Metropolitana.

    Para capitalizar as benesses que a Região está recebendo pela primeira vez, é preciso eficiência executiva e a ação imediata. Por estas razões é que dissemos no início da matéria que o prefeito Pedro Ivo é um homem de sorte. Estas qualidades, o advogado e ex-secretário da cultura do Distrito Federal, que também é empresário no ramo da tecnologia da informação, teem de sobra.

    Ricardo Marques responde

  • Secretário Executivo da AMAB Ricardo Marques

  • Entrevistado com exclusividade para nosso site, durante o almoço no restaurante Piantela, José Ricardo Marques afirmou que está muito feliz com a confiança que o prefeito de Formosa depositou no seu potencial de gerir os novos rumos da instituição, que tem a responsabilidade de reescrever a história da Região Metropolitana do Distrito Federal.

    “Reconheço o trabalho de recuperação da AMAB, empreendido pelo antecessor do presidente Pedro Ivo, o competente prefeito de Cristalina, Luiz Carlos Attié, que tem feito uma boa gestão, o que nos orgulha sobremaneira. Entretanto o momento agora é outro, ou seja, é hora de capitalizar o que Attié nos deixou e partir para ações efetivas, para a transformação dos 22 municípios que padecem e sofrem com problemas de toda a natureza. Esse povo esperou a vida inteira e chegou a hora. Nós temos no Entorno bolsões de miséria convivendo com a maior renda per capita do Brasil, que é Brasília. 67% das pessoas economicamente ativas que moram na Região, veem trabalhar no Distrito Federal.

    Queremos agora, saneamento básico em todos os municípios, saúde pública de qualidade, pleno emprego e educação em todos os níveis. A rede hoteleira de nossa Região, certamente se expandirá para todos os municípios. Brasília é uma capital de negócios, onde os eventos alimentam a economia de maior renda per capita do país”. Continua Ricardo – “Aqui não temos mais espaço físico para a construção de grandes resorts, por exemplo, como é comum nos arredores das capitais construídas para administrar o Estado. Tais como: Washington, Berlim e Abuja. Dentre outras cidades pelo mundo de menores proporções como, Camberra na Austrália, Islamabad no Paquistão e até nossa Belo Horizonte em Minas Gerais. Todas tiveram expansão fenomenal em suas Regiões Metropolitanas. Aqui em Brasília empresários que chegam do exterior para realizar negócios, muitas vezes permanecem na cidade por dois meses, até o fechamento dos seus projetos. Trabalham de segunda a sexta e nos finais de semana vão para o Rio ou São Paulo, por falta de opções de lazer. A alternativa para manter estes turistas internacionais em Brasília é a expansão turística do Entorno do Distrito Federal. Suas cachoeiras, festas regionais e as maravilhas naturais do cerrado, que certamente serão potencializadas por profissionais do turismo rural, farão uma revolução nas imediações do Distrito Federal. O que poderá começar já em 2014 com a realização da Copa do Mundo no Brasil, que terão jogos agendados para a capital brasileira”, arrematou.

    Questionado sobre o grande número de pessoas que moram em Brasília há décadas, inclusive empresários e políticos que pensam em mudar para o Entorno, Marques foi enfático: “Olhe bem. No início de Brasília, os altos funcionários, empresários bem sucedidos moravam na Asa Sul e Asa Norte. Passaram-se os anos e eles foram para os Lagos: Sul e Norte. Os apartamentos no Plano Piloto ficaram para seus filhos. Agora os filhinhos do Lago Sul estão no Sudoeste e brevemente no Noroeste”. Continua Marques – “Como temos a primeira renda per capita do país, parte significativa de nossa população em Brasília quer investir no segundo imóvel; preferencialmente onde tenha qualidade de vida. Com o investimento dos bilhões do PAC na Região do Entorno, é natural que as grandes construtoras de Brasília e do país estarão com os olhos voltados para o futuro, e o futuro chama-se Região Metropolitana de Brasília” ressaltou o secretário executivo da AMAB.

    É importante frisar que as cidades planejadas são aquelas intencionalmente criadas em locais previamente escolhidos, implantadas em períodos temporais relativamente breves, com finalidade de caráter geopolítico.

    Em geral, as cidades planejadas teem seu planejamento rapidamente atropelado pelo crescimento populacional, o que faz o traçado original sucumbir diante da espontaneidade com que a população se espalha pelo seu Entorno ou por seu interior.

    O exemplo máximo que se poderia dar do fenômeno, em termos brasileiros, é Brasília, planejada para acolher 500 mil habitantes, mas teve esse número multiplicado por quatro no ano de 2000. Hoje Brasília está próximo de 3 milhões de habitantes.

    A reportagem perguntou ao secretário executivo da AMAB sobre o futuro imobiliário da Região. “O futuro é agora, com a duplicação da BR-020 de Brasília à Formosa a MGarzom construtora de vanguarda no Distrito Federal e que enxerga por detrás do morro, investe pesado na antiga Formosa dos Couros, que brevemente será Formosa dos eventos nacionais e internacionais.

    A empresa brasiliense está construindo o Residencial Taj Mahal, em Formosa, com 14 andares e tem apartamento com 350 m² no valor de 1 milhão de dólares. Brevemente teremos condomínios e shoppings em todas as cidades; redes hoteleiras arrojadas e aeroportos regionais. Tudo isso para que os moradores da Região possam apreciar, por exemplo, as maravilhas de uma Lagoa Feia revitalizada; um novo Salto do Itiquira, maior queda d’água do Centro-Oeste; a beleza natural de Terra Ronca; todos em Formosa. A cachoeira do Arrojado e o Balneário das Lages em Cristalina. As maravilhas da Chapada dos Veadeiros em Alto Paraíso e as Cavalhadas de Pirinópolis. “Isto apenas para citar alguns pontos turísticos que serão revitalizados já com o apoio do pacote de bondades da nossa estimada presidenta Dilma. Vale ressaltar que Alto Paraíso está localizado no Nordeste Goiano, mas pela sua proximidade de Brasília, poderá num futuro próximo pertencer oficialmente a Região Metropolitana de Brasília”, arrematou o ex-secretário de cultura do Distrito Federal.

  • Residencial Taj Mahal

  • A reportagem conversou com o Marcos Garzom, proprietário da Mgarzom, que demonstrou entusiasmo com seus empreendimentos em Formosa. Ele disse que o Taj Mahal terá 136 apartamentos. A outra novidade é que brevemente construirá um shopping de alto padrão naquela cidade goiana.

    Provocado pela reportagem se empresários de grande porte mudariam de Brasília para o Entorno, o carioca Ricardo Marques respondeu na lata; “Sou apenas um médio empresário, mas já tenho residência em Formosa. De minha casa na rua Intendente Pereira Dutra no bairro Jardim Califórnia, ao meu escritório na Península dos Ministros no Lago Sul, gasto apenas 40 minutos. Graças ao guerreiro deputado goiano Pedro Chaves do PMDB, que não mediu esforços para duplicar a BR – 020 de Brasília à Formosa. Acho ainda que estou bem acompanhado no Entorno. O proprietário da empresa que construiu o Banco Central, parte de Brasília e é proprietário do Hotel Aracoara em Brasília, Wayne Farias, mora em Padre Bernardo, onde é prefeito e me disse que adora sua cidade. O Gilberto Rossi, proprietário das Industria Metalúrgica Rossi no Distrito Federal também tem propriedade em Padre Bernardo. Sei de fonte limpa, que ele tem planos de morar definitivamente na cidade. Outro exemplo, é o da Lêda Borges, que era alta funcionária do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, morava na Asa Sul no DF e agora é moradora de Valparaíso, onde é sua prefeita. Da mesma, forma o auditor aposentado da Receita Federal em Brasília, Adolfo Lopes. Aqui em Brasília Adolfo inclusive foi candidato a governador. Hoje ele é o vice-prefeito de Valparaíso e não sai de lá para nada, nem para passear. Não posso esquecer de citar Roriz e Luiz Attié. O primeiro não podemos negar, que é uma das referências da política do Distrito Federal. Ele mora em sua fazenda Palmas, no município de Luziânia e vem a Brasília em ocasiões especiais. O Attié que foi presidente do CRECI/DF por 15 anos e morou no Lago Sul e Sudoeste, agora vive em Cristalina onde é prefeito. Ricardo inverte a pergunta: eles se mudaram para o Entorno por que? Ele mesmo responde - Claro que é pelo fato de enxergarem longe. Futuramente a Região Metropolitana de Brasília chegará ao topo das Regiões Metropolitanas do País”, arrematou.

    Gostaríamos de sugerir ao prefeito Pedro Ivo, presidente da AMAB e seu secretário executivo, Ricardo Marques, um projeto que certamente marcará com letras garrafais os novos rumos da instituição. Trata-se da realização em Brasília, de um Seminário coordenado pela AMAB, em conjunto com a Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, com apoio dos três senadores de Brasília: Rodrigo Rollemberg, Gim Argello e Cristovam Buarque e parlamentares goianos como: Lúcia Vânia, senadora da República e Pedro Chaves, deputado federal, dentre outros. Este evento certamente poderá contar com a presença da presidenta Dilma, que terá a oportunidade de expor pessoalmente o projeto PAC para o Entorno. É fundamental a participação de investidores brasileiros e estrangeiros que ouviriam dos técnicos do Governo Federal, do Distrito Federal, de Goiás e de seus 22 prefeitos, informações sobre a viabilidade de investir no Entorno do Distrito Federal. Neste evento poderá ser escrito pelo prefeito Pedro Ivo e seus pares o documento: O Sonho de JK - O Desenvolvimento da Região Metropolitana de Brasília.

    Ricardo Marques finalizou dizendo que a missão da AMAB é a fortificação e o incremento da gestão administrativa das 22 prefeituras que a compõem.

    Página Inicial