Pesquisa aponta Marina Silva com 52,1% em Brasília


Marina Silva tem todos os ingredientes para ganhar no primeiro turno

Por: Walter Brito

Depois que o Ibope divulgou no Jornal Nacional, na última sexta-feira (29), o empate cravado entre Dilma e Marina Silva, ou seja, 34% a 34%, de intenção de votos das presidenciáveis do PSB e PT, o Instituto Directa divulga por meio desta reportagem, que Marina Silva tem 52,1% para presidente da República no Distrito Federal. A pesquisa realizada entre os dias 23 e 25 de agosto, quando foram ouvidos mil eleitores em todas as cidades do Distrito Federal; mostra a presidenta da República, Dilma Rousseff em segundo lugar com 17,9%; Aécio Neves do PSDB com 15% e os demais candidatos juntos somaram 3,1%. Brancos e nulos 3% e não sabem 8,9%. Vale lembrar que a margem de erro é de 3,1% para mais ou para menos e o índice de confiança ficou em 95%. A pesquisa foi registrada no TRE-DF com número DF-00036/2014. Para governador de Brasília, o fenômeno José Roberto Arrua (PR), apesar de questionado pela justiça, por meio da lei da ficha limpa, continua crescendo e alcançou 39,2% de intenção de votos do povo brasiliense. Em segundo lugar, encontra-se o senador da República, Rodrigo Rollemberg (PSB), que deixou para trás o governador Agnelo (PT). Rodrigo tem 17,2% e Agnelo pontuou com 15,5%. Por outro lado, Luiz Pitiman do PSDB obteve 5,9%; Toninho do Psol 5,2% e Perci 0,3%. Brancos e nulos representam 7,7% e não sabem 9%.

Na corrida para o Senado, Antônio Reguffe do PDT continua na liderança com 26,8%, enquanto que Gim Argello do PTB pontuou com 16,1% e Geraldo Magela do PT 15,4%. Para a Câmara Federal, os três primeiros colocados são: Jaqueline Roriz (PMN) com 6,2%; Érika Kokay com 3,4% e Alírio Neto com 2,6%. A disputa para o Parlamento distrital, se dá na seguinte ordem: Liliane Roriz (PRTB) com 1,9%; Agaciel Maia (PTC) com 1,6% e doutor Michel (PP) tem 1,5%.

Baseando-se na premissa de que Brasília é o melhor laboratório para avaliar o pensamento do eleitor brasileiro, tudo indica que como anunciamos em primeira mão, logo após o falecimento do presidenciável Eduardo Campos, que Marina pode surpreender, ou seja: “Marina tem todos os ingredientes para ganhar no primeiro turno”. Nesse sentido, as pesquisas indicam que o povo brasileiro quer mudanças já, e não aguenta mais o PT no poder. Os brasileiros de todos os segmentos sociais enjoaram até da voz rouca do filho da Dona Lindú, o ex-presidente Lula, que no passado encantou a gregos e troianos. Muita gente boa desliga a televisão quando o Lula dá seus pitacos. O próprio ex-presidente já percebeu isso. O flagrante crescimento de Marina em todo o país foi analisado por seus adversários como um crescimento momentâneo, devido à tragédia ocorrida com Eduardo Campos. As pesquisas do Ibope da Directa, indicam que o fato é real e não comoção social. Na opinião da maioria, Marina tem as melhores propostas; tem se mostrado a melhor debatedora no rádio, na TV e na Internet; Além de já ter conquistado a simpatia de grande parte dos jornalistas. Nesse caso, a mídia amestrada e poderosa, tenta mostrar fragilidade da ex-seringueira, divulgando aos quatro ventos os ataques de Aécio e do PT. Aécio afirma que Marina representa o projeto do improviso, enquanto que ele tem serviços prestados como gestor, quando governou Minas por dois mandatos. Entretanto, ele foi batido por Marina durante entrevista na Band. Ela mostrou de forma contundente, o seu descaso pela região do Vale do Jequitinhonha, que é uma das mais desassistidas do Brasil. Sem argumentos, Aécio saiu pela tangente. O marqueiro do PT, João Santana, de forma desesperada faz tudo para reverter a fuga de votos da Dilma para a Marina. A estratégia usada por Santana, foi colocar no ar, o ex-presidente Lula com garoto propaganda. Contudo, as pesquisas indicam que o ex-torneiro mecânico que virou presidente, foi superado pelos argumentos fortes e contundentes de Marina Silva. Prova disso, é a desastrosa campanha de Padilha para o governo de São Paulo, que pode perder no primeiro turno para Geraldo Alckmin (PSDB), candidato preferido e apoiado por Beto Albuquerque, vice da ex-seringueira. De acordo com pesquisa qualitativa do instituto Directa/O Parlamento, se Lula substituir Dilma na corrida presidencial, a derrota do PT será mais devastadora e humilhante. A pesquisa indica que o povo trocou as metáforas de Lula baseadas no futebol e no improviso, pelo português escorreito e a verve afiada de Marina Silva, divulgando com maestria o legado deixado por Eduardo Campos, que é um projeto moderno e arrojado para o país.

Liliane Roriz poderá substituir Arruda na corrida ao governo do Distrito Federal


Liliane Roriz

No Distrito Federal, uma comunidade conhecida como Porto Rico, localizada nas proximidades da cidade-satélite de Santa Maria, a pessebista Marina Silva tem 73% de intenção de votos para o Palácio do Planalto. Na mesma localidade, o rei dos votos para governador é José Roberto Arruda (PR), que deve ser substituído na próxima semana pela filha de Joaquim Roriz, a deputada distrital Liliane Roriz. Entrevistada pela reportagem, a filha de Roriz desconversou e disse que continuará com Arruda até o fim e, o seu projeto é mesmo a reeleição. São cotados também para substituir Arruda: Jofran Frejat (PR); Alberto Fraga (DEM), Gim Argello (PTB) e Flávia Carolina Peres, esposa de Arruda. Veja a íntegra da entrevista com aquela que de fato poderá substituir Arruda, com reais possibilidades de governar o Distrito Federal a partir de 2015.

Questionada pela reportagem do Diário da Manhã, a respeito de sua campanha nas 31 cidades do Distrito Federal, Liliane deixou claro que o trabalho feito por ela no parlamento distrital não teve a divulgação devida, por não ser de interesse da máquina do PT que comanda os meios de comunicação na capital brasileira. Quanto a campanha, ela disse que o trabalho feito pelo seu pai durante os quatro mandatos que administrou a cidade, faz com quem o povo tenha saudade dos velhos tempos de Roriz. Por isso, ela tem ido onde estão os rorizistas, ou seja, cidades como: Samambaia, Santa Maria, Riacho Fundo, Sobradinho II, entre outras criadas pelo ex-governador. A parlamentar argumentou também que fez um trabalho consistente em prol da saúde, inclusive indo a todos os hospitais conhecer a realidade da saúde pública do Distrito Federal, que no governo Agnelo se tornou um caos. A deputada é presidente da comissão de saúde da Câmara Legislativa do DF. “Quando Agnelo assumiu, ele argumentou, que como médico mudaria para melhor a área da saúde na cidade. Entretanto, quase quatro anos se passaram e a saúde pública está pior e, como nunca esteve em nossa cidade. Nos hospitais faltam médicos e técnicos especializados; faltam medicamentos; não foi feita a reforma efetiva na infraestrutura dos hospitais; o atendimento é o pior possível; portanto, para ser um bom secretário não há necessidade de ser um médico, e sim um bom gestor. O Jofran Frejat, que foi o melhor secretário de saúde pública em todos os tempos no Distrito Federal, é uma exceção à regra, pois ele é um grande médico e foi um excelente gestor. Agnelo como gestor não cumpriu nada que prometeu. E mais, uma cidade como Brasília, que tem recursos financeiros suficientes para atender toda a nossa população e dar suporte a Região Metropolitana de Brasília, tem uma das piores gestões de saúde no país”, arrematou. A deputada também falou sobre o apoio de seu pai às igrejas de todas as religiões, no sentido de doar terrenos para que os religiosos construíssem os seus templos. Ela acrescenta ainda, que a luta de Roriz e de seus aliados como o senador Gim Argello, lutado incansável pela legalização dos terrenos das Igrejas em Brasília, faz com que todos os seguidores do Roriz tenham ganhos eleitorais nas igrejas do DF. “Quando Joaquim Roriz estava no governo, ele se empenhou para dar oportunidade para que religiosos de todos os credos construírem seus templos. Talvez por isso, as pesquisas apontam o meu bom desempenho nas igrejas evangélicas, católicas e outros segmentos religiosos; o que me orgulha sobremaneira. Com o Gim Argello e outros seguidores do Roriz, ocorre o mesmo. Continuarei trabalhando na Câmara Legislativa do DF, caso eu me reeleja, sempre baseada nos projetos desenvolvidos pelo meu pai, Joaquim Roriz”. Aproveitamos a deixa para perguntar sobre a saúde de Joaquim Roriz, que esteve recentemente internado em um hospital em São Paulo e aguarda o momento certo para fazer transplante renal: “Meu pai está muito bem e se recupera de forma surpreendente. Aguardamos o seu reestabelecimento completo para que ele possa fazer a cirurgia de transplante renal. Enquanto isso, ele nos orienta a respeito do projeto político em Brasília. Como todos sabem, sou candidata a deputada distrital, minha irmã Jaqueline é candidata a deputada federal e minha mãe, Weslian Roriz, é suplente de Gim Argello, candidato ao Senado pelo PTB. Estamos todos empenhados na campanha de Arruda e, de acordo com a pesquisa da Directa/O Parlamento, ele pode ganhar no primeiro turno. Acredito firmemente que ele ficará até o final”, finalizou.

Continue lendo:

Versão digital

Versão impressa

Clique aqui para ver a pesquisa da Directa do mês de Agosto