Líder do governo FHC endurece o jogo no Amazonas

Por: Walter Brito

A viagem de Aécio Neves ao Estado do Amazonas na semana passada, não foi à toa. Além de comemorar os 35 anos de vida pública do colega tucano e prefeito de Manaus Arthur Neto; politicamente a viagem de Aécio foi emblemática em dois sentidos: O primeiro, sinaliza que o PSDB começa a se unir de forma efetiva, em torno do senador mineiro, com vistas a disputa da Presidência da República em 2014. No segundo, indica que o tucano Arthur Neto, poderá  voltar aos palanques. Certamente a sua verve afiada não deixará sozinho Eduardo Braga, na disputa para o governo amazonense.

Nas entrelinhas da visita do presidenciável à Manaus, ficou a deixa no discurso de Aécio: “Nesses seus 35 anos de vida pública, ele merece uma comemoração memorável como essa. Aqui nós estamos representando vários amigos do Brasil. O Arthur representa o que há de melhor na vida pública brasileira. Correto, preparado e leal aos seus princípios. Estamos sentindo a falta dos belos discursos de Arthur, que ecoaram Brasil afora, durante a sua luta no Senado. Mas, 2014 vem aí”, concluiu.

Certamente para alguns tucanos, como o presidente da CMM Bosco Saraiva, a candidatura de Arthur é viável: “É natural que as obras de infraestrutura, principalmente o asfaltamento das avenidas do Centro e nos bairros de Manaus, colocam Arthur na vitrine para disputar o governo em 2014. A candidatura dele muda pra valer o quadro político no Amazonas, e, fortalece de forma especial, o projeto  de Aécio Neves rumo ao Palácio do Planalto.

As pesquisas indicam que se a eleição fosse hoje, Braga ganharia no primeiro turno. O Instituto O Parlamento publicou no mês de outubro os seguintes números: Eduardo Braga tem 47,14% de intenção de votos; enquanto que Arthur Neto obteve 22,57%; José Melo 11,29%; Rebecca Garcia 6,2%; nulos e brancos 3,4% e 9,4% não responderam. Entretanto, as denúncias contra Eduardo Braga já estão nas ruas, na boca do povo e nos jornais; inclusive, anuncia-se um dossiê recheado contra o senador amazonense. Corre por fora a pré-candidatura de Hissa Abrahão (PPS).

Faltando 11 meses para o pleito, muitas águas prometem rolar por debaixo da ponte do Rio Amazonas.