João Ricardo valoriza Goiás na disputa da AMB!

Entrevista: Wilson da Silva Dias

Por: Walter Brito

A Magistratura goiana está em alta na disputa da direção da Associação de Magistrados Brasileiros – AMB, cuja eleição se dará nos próximos dias, 22 e 23 de novembro. É a primeira vez que a Magistratura goiana é valorizada de forma expressiva, quando 8 magistrados do Estado ocupam posições estratégicas numa chapa com reais possibilidades de vitória. A Chapa 1, que é de oposição está sob o comando do ex-presidente AJURIS João Ricardo. Entrevistamos o candidato a vice-presidente administrativo, que também é goiano; trata-se do ex-presidente da ASMEGO/GO Wilson da Silva Dias. Vale lembrar que o doutor Wilson, tem uma trajetória de sucesso na Magistratura brasileira. Nascido em Formosa-GO, ele passou no concurso para juiz aos 23 anos de idade; foi presidente da ASMEGO e vice-presidente legislativo da AMB. Considerado um dos melhores professores de processo penal do país, o goiano que dirige a 6º Vara Criminal de Goiânia, acredita na vitória de sua chapa: “Das 37 associações de juízes, quer seja: associações estaduais; associações de juízes trabalhistas; associações de juízes militares e associações de juízes federais, nós temos o apoio de 27 presidentes. Isso demonstra que a Chapa 1 liderada pelo doutor João Ricardo, tem o apoio de grande parte da Magistratura Brasileira. Fico também honrado, ao ver nessa chapa os meus colegas goianos valorizados, como nunca aconteceu antes. O João Ricardo convidou 8 magistrados de Goiás para fazer parte de sua futura administração. É um número expressivo, embora alguns estados tenham mais juízes que Goiás. É de fato a primeira vez na história, que Goiás terá participação efetiva na AMB. Os goianos que fazem parte do projeto, sob a batuta de João Ricardo, são: Eu, Wilson da Silva Dias, candidato a vice-presidente administrativo; André Reis Lacerda – Diretor Adjunto da Secretária de Comunicação Institucional; Átila Alves Amaral – Diretor da Secretaria de Segurança e Magistrado; Levine Raja Gabaglia Artiaga – Diretor Adjunto Secretaria de Assuntos Legislativos; Wilton Muller Salomão – Diretor Adjunto da Secretária de Segurança e Magistrado; Clauber Costa Abreu – Diretor da Secretaria de Convênios; Éder Jorge – Secretaria de Direitos Humano e Cidadania; Thiago Casteliano Coordenador Regional da Escola Nacional da Magistratura”, disse.

Questionado pela reportagem sobre o principal projeto da Chapa 1, o juiz Wilson da Silva Dias, disse o seguinte: “A valorização da Magistratura em primeiro lugar. Vale lembrar que a Magistratura brasileira tem passado por momentos difíceis, embora reconhecida pela sociedade em suas atribuições. Queremos promover a unidade da Magistratura, defesa dos nossos subsídios, uma maior democracia nos tribunais do país, maior integração entre as associações; além da participação efetiva da AMB junto ao Supremo e CNJ, para resgatar a autoestima da própria Magistratura brasileira”, finalizou.

A respeito da valorização da Magistratura brasileira, o candidato a presidente da Chapa 1, João Ricardo, afirmou o seguinte: “A valorização da Magistratura, não virá de fora para dentro; ao contrário, começa com o resgate da autoestima a partir das escolhas que fizermos hoje e para o próximo triênio. Que futuro idealizamos e principalmente, quais são os meios para alcançá-lo? Não existem valorização e conquistas por projeto, muito menos decreto, mas sim, por iniciativas e atitudes”, declarou.

João Ricardo disse ainda que: “A paridade é vital para manter a espinha dorsal das prerrogativas, que é a irredutibilidade dos vencimentos”. Destacamos uma das 23 metas prioritárias para mudar efetivamente os rumos da AMB, segundo João Ricardo: “Implantar programa de transparência administrativa, de prestação de contas da AMB para que seus associados saibam como a associação está sendo gerenciada, com prestações de contas bimestrais, por meio de balancetes a serem enviados a todos os Juízes”.