Ex-ministro do TSE, Fernando Neves, recebe o título de cidadão honorário de Brasília!

(Ministro Peluso, Fernando Neves Silva, deputado Robério Negreiros, ministro Pertence, filha do homenageado Cristina Neves e ministro Marcelo Ribeiro)

Por: Walter Brito

Na última sexta-feira, 29/11, o deputado distrital Robério Negreiros (PMDB-DF), homenageou o advogado e ex-ministro do TSE, Fernando Neves da Silva, com o título de cidadão honorário de Brasília.

Foi de fato, uma das cerimônias mais bonitas realizadas naquela casa. Decorada com rosas brancas, hino nacional executado pelo saxofonista Saulo, além da presença de amigos de juventude do homenageado, amigos da advogacia e da magistratura; autoridades e familiares.

O deputado Negreiros, disse que a lista de cargos exercidos pelo homenageado e suas contribuições com a sociedade brasileira, é tão extensa quanto a importância do ministro para Brasília e para o Brasil: “O nosso homenageado, pertenceu ao Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda; foi juiz efetivo do Tribunal Regional Eleitoral; presidente da Comissão Apuradora do TRE-DF, nas eleições de 1989 e 1990; comandou todas as instruções para às eleições de 2002 e 2004; membro da Comissão de Defesa da República e da Democracia do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, período 2010-2012; coordenador do Fórum pela Moralidade Eleitoral, integrado pela Ordem dos Advogados do Brasil, Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil e diversas outras entidades; membro da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, no período entre julho de 2004 e junho de 2007; membro efetivo do Tribunal Superior Eleitoral por dois biênios, e palestrante. Essa é uma pequena amostra do currículo do ministro e amigo Fernando Neves da Silva. Muito obrigado por tudo que o senhor fez por essa nação, pelo que continua fazendo e certamente ainda fará. Nossa democracia agradece!”, concluiu.

Emocionado, mas sereno e, ao lado do irmão ministro do TSE Henrique Neves Silva, da filha e advogada Cristina Neves; ministro do TSE Marcelo Ribeiro; os ex-presidentes da Suprema Corte: José Paulo Sepúlveda Pertence e Antonio Cezar Peluso; e o autor a homenagem, deputado distrital, Robério Negreiros, Além de ter na plateia o pai, o ex-ministro Célio Silva e sua esposa. Ele agradeceu ao deputado Robério Negreiros e disse: “O título de cidadão honorário, muito me honra, principalmente porque vem num momento em que não exerço nenhuma função pública. Essa homenagem, recebo com emoção e orgulho, mas com a perfeita consciência de que pouco fiz para merecê-la. A homenagem me levou a lembrar nesses últimos dias, de minha relação com essa cidade maravilhosa, que é Brasília. Embora mais nova do que eu, ela me acolheu muito. Eu vim de São Paulo aos 9 anos, onde morava no Centro e minha primeira escola ficava exatamente do outro lado da rua, em frente à minha casa. Um dia resolvi atravessar a rua sozinho para ir a escola. Fiquei de castigo por um mês. Vim para Brasília, e aqui experimentei uma sensação de liberdade, que até então não conhecia”, disse o homenageado em suas primeiras palavras. Ele falou sobre a sua trajetória e finalizou dizendo: “Um agradecimento especial ao ministro Pertence, meu irmão mais velho, que deixou mais uma vez a emoção superar a razão e, ao deputado Robério Negreiros, que me deu esse presente inesquecível. Eu tentei fazer, não sei se fiz certo, mas fiz o meu melhor. Muito obrigado a todos. Obrigado pela forte amizade de cada um que aqui compareceu, o que muito me emociona. Obrigado.”

Entrevistado pela reportagem, o ministro Pertence afirmou: “Esta homenagem da Câmara Legislativa do DF e do deputado Negreiros, é um ato de justiça. E para mim, um ato de emoção. Conheci o Fernando criança, na casa de seu pai, o ministro Célio Silva. E desde então, a nossa vida se tem encontrado na advocacia e no TSE. Com a história de Brasília, Fernando tem um liame inesquecível: A organização das primeiras eleições gerais de Brasília em 1989, onde foi indiscutivelmente o eixo, da organização de uma cidade que não tinha experiência em eleições gerais. Fernando desempenhou com grande talento e com dedicação, ao trabalho cívico que eu destacaria por toda vida.”, disse.

Outro entrevistado foi o também ex-presidente da Suprema Corte, Antonio Cezar Peluso: “Esta homenagem ao amigo Fernando Neves, significa o reconhecimento formal e oficial da cidade, dos serviços que esse cidadão tem prestado. Não apenas no DF, Brasília especificamente, mas para o país. Ocupou cargos importantes na República, desde a Comissão de Ética da República até no TRE e no TSE. Acho que é um motivo de orgulho para a cidade. Acredito que ele esteja muito feliz com esse reconhecimento pelo trabalho, que tem feito em favor da cidade.”

Falou também à reportagem, a filha do homenageado, Alessandra Gama, diretora do SBT: “Para nós é muito satisfatório. Não só pela figura pública do meu pai, mas pela pessoa que ele é: um grande advogado. Mas também, um grande homem. Temos muito orgulho dele. Ele merece essa homenagem.”

Entrevistado durante o coquetel que o homenageou, Fernando Neves disse o seguinte: “Estou muito emocionado. Realmente era uma coisa que eu não esperava. Estou em Brasília desde 61, mas nunca pensei em me tornar cidadão honorável. É uma demonstração de carinho muito grande que eu recebo e, sabendo que isso é não por méritos meus. Mas, é um reconhecimento a todos aqueles, que chegaram aqui muito cedo em Brasília, e que são filhos de Brasília, que defendem a cidade agora. É uma homenagem que me deixou muito contente e satisfeito”, concluiu.

Robério Negreiros finalizou, quando disse as seguintes palavras: “Hoje estou muito satisfeito, muito orgulhoso. Fiz essa homenagem mais do que merecida, ao ministro Fernando. Ele é uma pessoa que todos viram aqui, tem uma história. Apesar de ter nascido em São Paulo, ele mesmo disse que a sua história foi aqui no DF. Como jurista, foi ministro e tantas outras coisas. O título de cidadão honorário é mais um item no seu currículo. Parabéns ao Ministro Fernando Neves, parabéns aos seus familiares, oportunidade em que lhe desejo mais sucessos.”