Embaixada americana tem 841 antenas em solo brasileiro

Por: Assessoria da senadora Vanessa

A Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado, que investiga as denúncias de Espionagem, ouviu o presidente da Anatel, João Rezende e o diretor de inteligência da Polícia Federal, João Iegas.

O presidente da Anatel, João Rezende, admitiu, que existe vulnerabilidade na segurança dos dados que trafegam pela internet no país. Rezende também confirmou a existência de 841 outorgas de antenas em solo brasileiro para a Embaixada americana. Sobre a colaboração de empresas brasileiras com a espionagem ele afirmou que "todas as informações que foram trazidas à Agência mostram que não há colaboração de empresas brasileiras com esse processo de espionagem".

O diretor de inteligência da Polícia Federal, João Iegas, ouvido na mesma audiência, afirmou que o inquérito aberto para investigar as denúncias não vai avançar sem o depoimento do autor das denúncias, o ex-analista de inteligência do governo norte americano, Edward Snowden. Iegas quer confirmar se houve a violação dos dados e de que maneira o crime foi cometido.

– É uma das vertentes, não que estejamos reféns da oitiva do Snowden. Mas sem dúvida nenhuma é uma providência importante porque ele certamente pode ter conhecimentos de alguns detalhes técnicos que facilitariam e trariam novos elementos ao inquérito policia, obervou Iegas.

Agência de Segurança Cibernética

A presidente da CPI, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) destacou que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Espionagem vai apresentar um projeto de lei para criar uma agência que reúna todos os envolvidos nos processos de comunicação e informação.

Snowden

O relator da CPI da Espionagem, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) confirmou para quinta-feira uma reunião com o embaixador da Rússia no Brasil para tratar da oitiva de Edward Snowden. Ex-técnico da agência de segurança americana, a NSA, Snowden revelou a existência de programas secretos norte-americanos de interceptação de dados eletrônicos e telefônicos em todo o mundo. Ferraço esclareceu que se a CPI conseguir a autorização do governo russo para fazer uma teleconferência com Edward Snowden terá a possibilidade de questioná-lo diretamente, sobre os mecanismos e informações adicionais necessárias para que as investigações possam evoluir.