Entrevista Exclusiva!

Eduardo Braga diz que se Deus abençoar, ele será candidato ao governo do Amazonas!

Por: Walter Brito

A retumbante vitória ontem, 16/05/2013, no senado da MP dos Portos, quando 53 senadores votaram a favor, sete contra e cinco abstenções, teve a participação efetiva do senador amazonense Eduardo Braga, relator da matéria.

No calor da discussão e ainda sem saber o resultado da votação, o ex-governador do Amazonas, nos recebeu gentilmente, no cafezinho do Senado, para uma conversa sobre a Zona Franca, a influência da MP dos Portos no desenvolvimento do Amazonas e, seu futuro político.

“Eu entendo que o projeto da Zona Franca é vitorioso. Ele é estratégico, importante na geração de emprego e renda, bem como para o desenvolvimento de Manaus e do Amazonas. Claro, que o Brasil também ganha, e, muito com a Zona Franca. Como o país inteiro sabe, temos apoiado a Zona Franca de maneira dedicada, abrangente e, com o propósito de fazer com que, o Polo Industrial, seja cada vez mais competitivo. Queremos o aumento de emprego e renda para o nosso querido povo amazonense”, declarou.

Quanto ao projeto da MP dos Portos e sua influência no Amazonas, ele argumentou: “A MP dos Portos, se aprovada, beneficiará o Amazonas de várias maneiras: primeiro estaremos garantindo mais eficiência e competitividade no estado do Amazonas. Vale ressaltar, que uma região industrial como a nossa, com cerca de 650 indústrias, mas longe do centro consumidor, certamente a modernização de nossos portos, trarão benefícios imediatos ao povo amazonense. Tal qual o Polo Industrial de Manaus, os portos são fundamentais para a competitividade, quando garantiremos agilidade na chegada de nossos produtos às prateleiras do consumidor brasileiro. E mais, com preços competitivos, inclusive no sentido de competirmos com os produtos chineses”, declarou.

Quando questionado, sobre a pesquisa de opinião, feita pelo “Instituto O Parlamento - Pesquisa de Mercado e Opinião”, no mês de abril 2013, para o governo do Amazonas, oportunidade em que foram ouvidos mil e quinhentos eleitores em diversas regiões do estado e na cidade de Manaus, quando detectou que o senador lidera a pesquisa para o governador em 2014, ele respondeu na lata: “O povo é quem sabe o que quer. Se esse mesmo povo acha que devo governar novamente o meu estado, fico honrado pela lembrança. Continue espalhando por ai, pois quem sabe Deus abençoa e da certo? Hoje, sou líder do governo no Senado e, o futuro, a Deus pertence”.