Donadon debocha da justiça brasileira!

Por: Walter Brito

O deputado federal de Rondônia Natan Donadon, eleito por três mandatos consecutivos pelo PMDB, dá a volta na lei e consegue por um longo tempo e por meio de artifícios jurídicos, enganar a lei e o povo, pois já teria de estar na cadeia por roubo ao erário público entre 95 e 98. O cara de pau agora teve ordem de prisão expedida pelo Supremo Tribunal Federal e corre da polícia, para não ir para prisão, onde ele deveria estar desde 2010.

Vale lembrar que o deputado roubou do erário 8,4 milhões quando era diretor financeiro da Assembleia Legislativa de Rondônia, o que hoje corresponde em moeda atualizada, cerca de R$ 50 milhões.

Um dos mais renomados advogados do país, o doutor Nabor Bulhões, ainda não permitiu que o seu cliente e réu condenado, cumpra acordo para se entregar à Polícia Federal, como já tinha concordado que seria na última quinta feira, dia 28/06/2013. Vale lembrar ainda, que o deputado foi condenado a 13 anos e 4 meses de prisão, entretanto, ele passeia livre e tranquilamente pelas ruas da capital brasileira. É possível, que ele esteja a espera de algum milagre de seu advogado, ou de seus pares na Câmara dos Deputados, para fugir mais uma vez das grades que lhe esperam.

Bulhões argumenta ainda, que há um impasse institucional, pois a prisão depende da eventual cassação do parlamentar ou término do seu mandato. Outra tese defendida pelo jurista, é a comparação do tamanho da pena, com outros condenados no mesmo caso, que tiveram penas menores.

Apesar do respeito que tenho pelo dr. Bulhões, ressalto que a Suprema Corte Brasileira, já deliberou que não existe nenhuma incompatibilidade em prender Natan Donadon e seu mandato parlamentar. Quanto a tese usada para protelar mais ainda o condenado, baseada na pena menor dos comparsas do Donadon, não pode prosperar, pois, no próprio julgamento do mensalão, a conhecida Ação Penal 470, o dr. José Dirceu, seu mentor, foi condenado a 10 anos e 10 meses de prisão, enquanto que o Marcos Valério, que na verdade era um de seus comparsas e lhe devia obediência, foi condenado a 40 anos de prisão. Portanto, os argumentos protelatórios do dr. Bulhões são frágeis e, torna a prisão de Donadon incontestável. E mais, o Natan já renunciou ao mandato de deputado federal em outubro de 2010, para fugir do julgamento do Supremo. O imbróglio passou o processo para justiça comum, o que lhe permitiu se reeleger em 2012. Chega de deboche! É claro, que a prisão do parlamentar vai repercutir de forma muito forte no julgamento do mensalão e na prisão dos condenados: José Dirceu, José Genuíno, João Paulo Cunha e outros. Cadê a Polícia Federal que não vigia os passos de Donadon? Ele pode fugir, a qualquer momento! Prisão já para Natan Donadon!