Doutores da ética perdem para o poder no Senado

Por: Walter Brito

O Brasil assistiu ontem a derrota retumbante de Pedro do Taques (PDT-MT), Cristovam Buarque(PDT=DF) e Pedro Simon (PMDB-RS), que obtiveram apenas 18 votos na disputa contra os poderosos Renan Calheiros(PMDB-AL), José Sarney (PMDB-AP)Fernando Collor (PTB-AL) e Gim Argello (PTB-DF).

Renan Calheiros, denunciado pelo procurador-geral da República Roberto Gurgel, contou com a ajuda da tragédia de Santa Maria, que impediu o efeito da ética prosperar e, 56 senadores elegeram novamente o alagoano para presidir o Senado. Denunciado por Gurgel e a grande imprensa, o noticiário com as mortes de 236 jovens no Rio Grande do Sul, salvou Renan, que comandará um orçamento de R$ 3,5 bilhões.

Os argumentos de Pedro Simon não foram ouvidos pelo plenário: “Renan se elege hoje, e na quarta-feira ou na quinta-feira, o Supremo, aceita a denúncia e se inicia um processo lá,” sentenciou o gaúcho, que seus pares fingiram não ouvir.

O líder do governo no Senado Eduardo Braga (PMDB-AM), orientado pela presidenta Dilma, disse que o próprio Senado, havia inocentado Renan das denúncias em 2007.” Não pode haver pré-julgamento e Renan tem direito à ampla defesa,” disse.

Semiaposentado no Senado, tudo indica que Sarney continuará dando as cartas e Renan, que é afoito, mas já enfrentou pedras pelo caminho, sabe que tem que obedecer, o velho cacique da República.Continue Lendo..


Página Inicial