Deputado judoca quase mata safenado em Manaus

(O publicitário Mário Júnior e o Deputado Nicolau)

Por: Walter Brito

O deputado estadual Ricardo Nicolau, especialista em Jiu-Jitsu e Judô nas horas vagas, fez uso de seus poderes no tatame, para tentar calar a boca da imprensa na capital amazonense. Na segunda-feira, dia 20/05/2013, na parte da tarde, o publicitário Mário Corrêa Júnior , casado com Cristina Calderaro, vice-presidente do grupo de Comunicação A Crítica de Manaus, foi vítima dos golpes certeiros do deputado estadual Ricardo Nicolau, investigado pelo MP do estado, por supostos desvios de recursos da Assembleia Legislativa do Amazonas.

Questionado pelo Jornal A Crítica de Manaus, o deputado tentou calar a imprensa amazonense, por meio dos golpes aplicados no publicitário, que recentemente fez uma cirurgia do coração, quando colocou duas pontes de safena. O publicitário se encontrava no Aeroporto Eduardo Gomes, na capital amazonense, quando viajaria para São Paulo, com o objetivo de revisar a melindrosa cirurgia feita recentemente na capital paulista.

O deputado alega que estava sendo perseguido pela esposa do publicitário agredido e, todos os mecanismos do Grupo A Critica: Rádio, Jornal, Televisão e Jornais Eletrônicos denegriram a sua imagem.

Vale ressaltar, que o meio legal de se defender das referidas perseguições, é na justiça e não por meio de golpes certeiros em uma pessoa que se encontra em fase de recuperação, de uma delicada cirurgia como é o caso do publicitário Mário Corrêa Júnior.

Senhores deputados, senhores senadores, do Amazonas e do Brasil! Nosso país é ao lado de Uganda e da Venezuela, um dos mais difíceis para o trabalho efetivo dos jornalistas, que têm como missão, informar com responsabilidade os fatos ocorridos em qualquer parte, do Brasil ou do mundo. Mario Júnior, sofreu na segunda-feira, o que diversos jornalistas e publicitários sofrem todos os dias. Vladimir Herzog morreu assassinado covardemente, defendendo a divulgação de fatos que eram noticias na época da ditadura. Precisamos mudar, para melhor a lei de imprensa e, permitir que jornalistas trabalhem com tranquilidade, defendendo o pão de cada dia de seus familiares, por meio de sua profissão que é honrada, mas não é respeitada pelos poderosos em nosso país.