O presidente do Democrata Jovem de Goiás é de Cristalina

(Heitor Soares durante o Seminário de Inovação e Política Liberal)

Por: Walter Brito

Certamente na Oração aos Moços escrita por Ruy Barbosa, para homenagear os formandos do curso de direito da Faculdade do Largo de São Francisco na cidade de São Paulo em 1920, vamos encontrar diversos ensinamentos que se encaixam na trajetória de um jovem brasileiro, principalmente aqueles que cursam ou já cursaram direito.

Lá na capital brasileira dos cristais, alcançamos via telefone o Heitor Soares, que se destaca como um desses jovens que foram orientados na década de 20 pelo nosso Ruy Barbosa. Presidente da União Municipal de Estudantes de Cristalina, ex-candidato a vereador pelo Democratas e atualmente cursando direito em Goiânia, Heitor quer tornar os desiguais, iguais em todos os setores. Aliado de primeira hora do deputado federal Ronaldo Caiado, ídolo em Cristalina pela sua atuação a favor dos agricultores.

Engajado desde infante nas causas sociais em sua Cristalina, Heitor disse o seguinte a reportagem: “Entendo que o mundo mudou e evoluiu muito nos últimos anos, na medicina, na engenharia, na tecnologia temos ai como referencias maiores, o Bill Gates da Microsoft e o saudoso Steve Jobs criador da Apple. Não podemos esquecer o criador do Facebook, o jovem que é sucesso do momento em todo o mundo e também meu ídolo, Mark Elliot Zuckerberg. Ele é sem duvidas o mais jovem bilionário do planeta terra. À advocacia também teve os seus avanços, pois a cada dia que se passa surgem novidades no mundo do direito. Tive a grata satisfação de participar da posse, como presidente do Supremo, do operador do direito que nasceu em nossa vizinha Paracatu, o dr. Joaquim Barbosa, que é a maior personalidade pública de nosso país. Nesta seara, além da admiração que tenho pelos escritos de Ruy Barbosa, Nelson Hungria e o saudoso criminalista Nilson Curado, que foi o terror dos promotores de Brasília nos anos 70 e 80, leio diversos jovens que já se destacam na área criminal, civil e eleitoral. Todos os que citei deixaram legados importantes, onde beberemos em suas fontes, para projetar nosso futuro. Contudo, percebo que a evolução não se deu em todas as áreas”, disse.

Questionado sobre a área que menos evoluiu, o Heitor foi direto ao assunto: “Os professores em nosso país, muitas vezes vivem em dificuldades, o que não pode acontecer. Eles não são valorizados como deviam ser, talvez por isso, há séculos à classe continua com pouca mobilidade, escrevendo no mesmo quadro negro, com o mesmo giz, com as mesmas técnicas. A didática de um professor de português, por exemplo, usada para alfabetizar o nosso saudoso Ruy Barbosa é a mesma que me alfabetizou. Por isso, aproveito o espaço oferecido gentilmente pelo jornalista Walter Brito, para pedir aos nossos governantes, melhores condições para o professorado do Brasil. Esta classe merece muito mais do que lhe é oferecido. Acho até, que podemos copiar o Japão, que ao sair arrasado da segunda guerra mundial, deu a volta por cima valorizando o saber. O professor tornou-se o profissional mais respeitado e melhor remunerado naquele país, quando a partir de novembro de 1945, o professor japonês passou a ser o único profissional a não se curvar diante do imperador ”, arrematou o estudante.

É com essa bagagem que o jovem aliado do deputado federal Ronaldo Caiado, assumiu a direção da juventude do partido democratas no estado de Goiás, com o objetivo de integrar o jovem ao processo politico goiano. “A minha responsabilidade é muito grande. O meu dever será integrar o jovem ao meio politico, discutindo questões fundamentais e emergentes que nos afligem em todos os setores: Educação, saúde, tecnologia e, valorização do professor. Esta é uma bandeira que faço questão de carregar. Vamos mudá-la em todo o país, por isso ao assumir a presidência da juventude do DEM em Goiás, conclamo os demais companheiros do país, para esta luta que é uma das maiores obrigações que teremos daqui para frente. Aproveito também para ressaltar que não quero o jovem dedicando somente a politica sem frequentar a faculdade. Temos que saber dividir o tempo entre os estudos e a nossa missão no mundo da politica”, concluiu.