Réquiem para o jornalista Antônio Pedreira, amigo do vice-presidente Michel Temer

(O saudoso Antônio Pedreira era amigo de Michel Temer - Foto)

Por: Walter Brito

Faleceu no domingo em Brasília o jornalista e empresário Antônio Pedreira. Ele será sepultado hoje dia 29/10/2013 às 17 horas, no Cemitério Campo da Esperança no Distrito Federal. Ele deixa a viúva Pina Pedreira, os filhos Marcos e Cláudia e dois netos menores. Antônio Pedreira foi deputado estadual pelo Rio de Janeiro, ex-candidato à presidência da República em 1989 e também disputou o cargo de presidente, na convenção do PMDB em 2010 contra o senador Roberto Requião e a indicação de Michel Temer, para vice-presidente de Dilma Rousseff. Polêmico e bem-humorado Antônio Pedreira era empresário bem-sucedido, com empresas na Bahia, Rondônia, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Vale ressaltar, que Pedreira tinha muitos amigos influentes na política brasileira, tais como: A Presidenta Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula, o vice-presidente Michel Temer, o senador José Sarney, entre outros. Ele se orgulhava de ter defendido a comunidade negra brasileira como candidato a presidente da República no rádio, na TV e nos palanques.

Por ocasião da festa de posse da primeira eleição do presidente Lula em 2002, Antônio Pedreira se encontrou com três coestaduanos no Palácio da Alvorada: O então ministro dos esportes e atual governador de Brasília, Agnelo Queiroz; o ministro nomeado por Lula para o Ministério da Cultura Gilberto Gil; e Waldir Pires nomeado ministro-chefe da Controladoria-Geral da União. Brincalhão e bem-humorado, Pedreira foi logo dizendo: “Somos quatro baianos, mas eu sou mais baiano que os três ministros juntos”. Gargalhadas para todos os lados, o ministro Gilberto Gil questionou, por que Pedreira? - “Eu nasci no dia 02 de julho, o dia da Bahia; nasci no Pelourinho e, sou o único baiano, além de Ruy Barbosa que disputou a presidência da República”, arrematou. Vale ressaltar, que Antônio Pedreira defendeu de forma clara e inconteste, a negritude brasileira na disputa presidencial, cujo o pleito elegeu Fernando Collor presidente. Naquela ocasião, o jornalista Antônio Pedreira obteve 86 mil votos dos brasileiros, correspondente a 0,12% e o 20° lugar. (Video em anexo).

Entrevistado pela reportagem, o ator da TV Globo, fundador do PMDB e ex-candidato ao Governo do Rio de Janeiro, Milton Gonçalves disse o seguinte: “O jornalista Antônio Pedreira foi muito corajoso e honrou o povo negro brasileiro, ao se candidatar à presidência da República em 1989 e disputar novamente o cargo de presidente da República na convenção do PMDB em 2010. Ele deixa um legado importante para a comunidade negra brasileira”, declarou. O presidente do Sindicato dos Artistas do Rio de Janeiro e também ator de cinema e TV, Jorge Coutinho declarou: “Militei com Antônio Pedreira no nosso velho PMDB. Ele foi um lutador inconteste pelas causas sociais, quando defendeu com galhardia os afrodescendentes na sua campanha presidencial em 1989. o povo negro brasileiro perdeu um homem importante, que teve a ousadia de pleitear a principal cadeira do Palácio do Planalto”, declarou.

O advogado Rubens Martins, amigo de longa data de Antônio Pedreira disse: “Perdi um grande amigo. Brasília e o Brasil perderam um homem honrado e trabalhador. Pedreira adorava a política e foi amigo de Leonel Brizola e do ex-presidente do Supremo Maurício Corrêa. Infelizmente ele não cuidava da saúde com o mesmo carinho que dedicava aos amigos e a política, bem como aos seus familiares. Estamos todos de luto”, concluiu Rubão.