Agaciel faz balanço de sua trajetória na Câmara Legislativa do DF

Por: Walter Brito

O ex-diretor geral do Senado Federal Agaciel Maia, vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, recebeu nossa reportagem quando falou de sua atuação como deputado distrital e os projetos que ele entende ser fundamentais para consolidação do desenvolvimento da capital brasileira. Ex-colega do presidente da Suprema Corte Joaquim Barbosa, na gráfica do Senado, o parlamentar disse também que Barbosa é tão importante para o país, que muitas vezes ele próprio não sabe a importância que tem.


Agaciel faz balanço de sua trajetória na Câmara Legislativa do DF

(Foto: Agaciel Maia e Joaquim barbosa)

Por: Walter Brito

O ex-diretor geral do Senado Federal Agaciel Maia, vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, recebeu nossa reportagem quando falou de sua atuação como deputado distrital e os projetos que ele entende ser fundamentais para consolidação do desenvolvimento da capital brasileira. Ex-colega do presidente da Suprema Corte Joaquim Barbosa, na gráfica do Senado, o parlamentar disse também que Barbosa é tão importante para o país, que muitas vezes ele próprio não sabe a importância que tem.

Questionado sobre os principais projetos que ele apresentou como distrital, Agaciel foi direto ao problema que aflige milhões de jovens brasileiros, ou seja, o processo de integração ao mercado de trabalho, dos jovens, por meio do primeiro emprego. “Apresentei um projeto intitulado “O Menor Aprendiz”, quando o governador Agnelo Queiroz se comprometeu a iniciar o projeto, inserindo inicialmente cinco mil jovens estudantes, que se preparam profissionalmente em diversas áreas, o que será fundamental para às populações carentes, como Itapuã, Por do Sol, Planaltina, Ceilândia entre outras. O referido projeto, certamente vai de encontro, com milhares de jovens que estão prestes a entrar no mundo das drogas e partir para a criminalidade. Almejamos chegar ao patamar de 130 mil jovens atendidos pelo programa. Vale ressaltar ainda, que será sem dúvidas uma grande economia para o estado, pois, um menor aprendiz custa 1/5 do valor que é gasto com um presidiário”, arrematou o parlamentar.

Outro projeto apresentado e aprovado pelos seus pares na Câmara Legislativa do DF, diz respeito ao apoio dado efetivamente aos ex-presidiários. Segundo o parlamentar, de cada dez egressos de presídios no Distrito Federal que são empregados, apenas um volta à delinquência. Enquanto que, quando ocorre o contrário, ou seja, entre dez que não se integram no mercado de trabalho, nove voltam à delinquir e automaticamente retornam à cadeia. “Em vistas disto, foi aprovado um Projeto de Lei, de minha autoria, onde todos aqueles que deixam o cárcere, terão o acompanhamento do juiz da vara de execução penal, quando o referido preso passará por um treinamento rigoroso, até ser inserido no mercado de trabalho. Sinto-me orgulhoso de ser autor de um projeto como esse, que certamente servirá como referência em todo país”, disse.

Dentre os diversos projetos apresentados pelo parlamentar do PTC, está o que obriga a captação de água nas construções acima de 300 m². “Imaginemos que prédios desse porte, que acumulam água direto das chuvas e são usados nos banheiros e nas áreas de limpeza de um modo geral. Trata-se de uma grande economia feita por esse processo. Esse projeto já é lei. Acrescentou ainda: com toda certeza, nas residências com os coletores haverá uma grande economia na conta de água. Além disso, essa água de chuva poderá ser usada para lavar carros e calçadas e irrigar plantas e jardins, por exemplo, sem prejuízo para o meio ambiente”, disse.

Agaciel Maia foi relator do orçamento 2012/2013 na Câmara legislativa no DF. “Como relator do orçamento tive mais de cem relatórios, entre os quais se destaca a construção do Estádio Nacional Mané Garrincha. Vale ressaltar que no período em que participei do orçamento juntamente com o deputado Wasny de Roure, que como eu é economista e especialista na área, a nossa casa de leis passou a examinar, com maior conhecimento o que o executivo manda. Tive a oportunidade de relatar diversos projetos como já citado, o Estádio Nacional e outros que foram importantes e fundamentais para a economia do Distrito Federal. Vale ressaltar ainda, que pela primeira vez recebemos recursos do PAC. Lembrando também que não tínhamos um plano diretor de transporte urbano, entretanto, agora temos o referido plano e Brasília vai receber nos próximos dois anos, 14 bilhões de reais. Certamente recursos nesse montante, servirão para aquecer o comércio, que vai vender mais e, consequentemente empregar cada vez mais, gerando emprego e renda. Aproveito para dizer por meio da reportagem ao Cristal Pesquisas, que minha função aqui, tem sido emprestar um pouco de minha experiência, para que a população de Brasília tenha de fato, uma melhor qualidade de vida”, arrematou.

O parlamentar afirmou também que a relação da Câmara Legislativa com os seus servidores é muito boa e que ele ajudou a provar benefícios que favorecem o funcionário público. “Quando fui diretor do Senado conseguimos aprovar o melhor plano de carreira do Brasil. Portanto, aqui na Câmara Legislativa do DF não poderia ser diferente. Tenho um respeito muito grande pelo servidor público, inclusive sou um servidor e estou deputado. Entendo que todas as demandas de servidores, precisam de nosso apoio e nosso respeito. Por meio de minha especialização nessa área, tenho dado minha contribuição no sentido, de aprofundar a discussão, no que se refere ao plano de carreira e outros benefícios, que garantam uma melhor tranquilidade para os nossos servidores”, declarou.

Quanto ao amigo que ele conheceu ainda na adolescência, hoje presidente da Suprema Corte, o doutor Joaquim Barbosa, o parlamentar distrital explicou: “Fui adolescente junto com Barbosa, quando jogávamos futebol e trabalhávamos juntos no Senado. Durante à noite estudando juntos no Elefante Branco. Tenho orgulho muito grande de poder falar isso. Hoje Joaquim Barbosa se destaca entre às 100 maiores personalidades públicas do mundo. Não se trata de orgulho somente para quem conviveu com ele, e sim, orgulho para a nação brasileira. Talvez nem o próprio Joaquim, perceba a importância que ele tem para o país nesse momento”, concluiu.